Revista de Economia e Sociologia Rural
https://revistasober.org/article/5d0989ae0e8825fa3da20609
Revista de Economia e Sociologia Rural
Artigo original

PERCEPÇÃO E NÃO-ADOÇÃO DO "STAND" TÉCNICO NA CULTURA DO MILHO

José Molina Filho; Thomas Joseph Burke

Downloads: 0
Views: 69

Resumo

Uma questão que tem preocupado pesquisadores e extensionistas é saber porque certas práticas agrícolas comprovadamente simples, baratas e eficientes não são adotadas pelos produtores, embora há muito tenham sido recomendadas pelos órgãos encarregados de sua difusão. Este estudo visa a encontrar uma possível resposta para esse problema, no caso do "stand" técnico para a cultura do milho. A hipótese geral é que o "stand" técnico não vem sendo adotado devido a distorções perceptivas dos produtores. A fim de testar essa pressuposição, advinda de novas concepções sobre percepção, aprendizagem e adoção de inovações, foi realizado um estudo empírico entre 251 produtores de milho, em cinco municípios do Estado de São Paulo, através de entrevistas e aferição dos "stands", realizadas em três diferentes ocasiões durante o ano agrícola 1978/79. O estudo mostra que os produtores superestimam o "stand" de suas culturas de milho. Desejariam, e pensam ter, de fato, um "stand" bem maior do que aquele que efetivamente conseguem. Há uma distorção que os leva a ver em seus campos "stands" que consideram como desejáveis e bastante próximos do "stand" técnico recomendado. Esses resultados sugerem que os produtores já adotaram o "stand" técnico enquanto idéia, mas, devido a distorções perceptivas, não o adotaram efetivamente como uma prática agrícola capaz de elevar, significativamente, a rentabilidade de suas culturas de milho. O trabalho conclui apresentando algumas recomendações, tanto para a pesquisa como para a extensão rural, com vistas à possível superação do problema.

Referências

1. BURKE, T.J. A percepção e o processo de adoção de inovações na agricultura. Piracicaba, Deptº de Economia e Sociologia Rural, ESALQ/USP, 1977. (Dissertação de mestrado).

2. BYRNES, F.C. Some missing variables in diffusion research and innovation strategy. A/D/C Reprint, Mar. 1968.

3. FRATINI, J.A. et alii. Programação prioritária de assistência técnicaPrograma Milho. Campinas, CATI, 1973.

4. FROMM, E. Meu encontro com Marx o Freud. 6.ed. Rio de Janeiro, Zahar, 1975.

5. MOLINA FILHO, I. Amostragem por área para estudos sócio-econômicos Piracicaba. Dept.º de Ciências Sociais Aplicadas, ESALQ/USP, 1971. (Série Pesquisa, 11).

6. ________. Classificação e caracterização sócio-econômica dos agricultores. Revista de Economia Rural, Ano 14, t. 1, 1976.

7. PIAGET, J. The mechanism of perception. New York, Basic Books, 1969.

8. ________. Psicologia e pedagogia. Rio de Janeiro, Forense, 1972.

9. ________. Biologia a conhecimento. Petrópolis, Vozes, 1973.

10. ________. Problemas de psicologia genética. Rio de Janeiro, Forense, 1973.

11. RITZER, G. Sociology: a multiple paradigm science. Boston, Allyn and Bacon, 1975.

12. ROGERS, E.M. Diffusion of Innovations. New York, Free Press, 1962.

13. ROGERS, E.M. & SHOEMAKER, F. Communication of innovations: a crosscultural approach. New York, Free Press, 1971.

14. SANTOS, G. Levantamento de população de plantas a de produtividade da cultura do milho (Zea mays L.), através da amostragem estratificada, no Município de Piracicaba. Piracicaba, ESALQ/USP, 1976. (Dissertação de mestrado).

15. VIEGAS, G.P. Técnica cultural. In: MOGENTHALE R.J. (org.). Cultura e adubação do milho. São Paulo, Instituto Brasileiro de Potassa, 1966.

5d0989ae0e8825fa3da20609 resr Articles
Links & Downloads

resr

Share this page
Page Sections