Revista de Economia e Sociologia Rural
https://revistasober.org/article/5da0d4780e88259c33c12059
Revista de Economia e Sociologia Rural
ARTIGO ORIGINAL

ASPECTOS DA ORGANIZAÇÃO AGRÁRIA DO PANTANAL MATO-GROSSENSE

EDUARDO ALFONSO CADAVID GARCÍA

Downloads: 0
Views: 744

Resumo

Este estudo utiliza informações dos censos agropecuários de 1940/80 dos principais municípios do Pantanal; estas informações foram analisadas em termos de tendências. Outras informações do censo agropecuário de 1980, mais detalhadas, em nível de setor em Corumbá, permitiram a análise da estrutura fundiária mediante o índice de Gini, ajustado para desigualdades dentro dos estratos, e a curva de Lorenz. Neste segundo grupo de informações foram identificados dois padrões de organização agrária: a) No primeiro, numa área de 4.988 km2, registrou-se alta demanda da terra para fins produtivos com estimativa do índice de Gini de 0,85, eonsiderada alta; b) o segundo padrão foi registrado numa área tipicamente pantaneira de 50.220 km2, em que a demanda de terra possui limitada conotação econômica e as condições produtivas impõem certo economia de escala com poucas alternativas de produção; o índice de Gini foi estimado em 0,55 a 0,59, considerado baixo.

Palavras-chave

Pantanal Mato-grossense, estrutura fundiária, índice de Gini, Curva de Lorenz.

Referências

A DAMO LI. J. O Pantanal e suas relações fitogeográficas com os cerrados. Discussão sobre o conceito ;,Complexo do Pantanal". Boi. Soe. Bras. Boi. (no prelo).

BRASIL. Ministério do Interior. Estudo de desenvolvimento integrado da bacia do Alto Paraguai: relatório de 1? Fase .'.. descrição Hsica e recursos naturais. Brasília, Ministério do Interior, SUDECO, EDIBAP, 1979 t. 11, 235p.

CORREA FILHO, V. Pantanais Mato-grossense: devassamento e ocupação. Rio de Janeiro, lntituto Brasileiro de Geografia e Estatística, 1946. 168p. (Biblioteca Geográfica Brasileira, série A, 3).

FIGUEIREDO, A.H. et alii. Região do cerradb: uma caracterização do desenvolvimento do espaço rural. Rio de Janeiro, FIBGE, 1979. 335p.

FUNDAÇÃO INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATl°STICA. Departamento
de Censos, Rio de Janeiro. Censo agrícola de 1960: Mato Grosso, Goiás, Distrito Federal. Rio de Janeiro, IBGE, 1960. t. 14, v.1., pt. 1,p.1 - 45.

FUNDAÇÃO INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTAT(STICA. Censo agropecuário: Mato Grosso. R/o de Janeiro, 1970. t. 22, v.3. 357p.

FUNDAÇÃO INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATISTICA. Censo agropecuário: Mato Grosso. Rio de Janeiro, 1979a. t. 22, v, 1. 257p.

FUNDAÇÃO INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATISTICA. Censo agropecuário: Mato Grosso do Sul. Rio de Janeiro, 1979b. t. 21, v. 2.

FUNDAÇÃO INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Censo agropecuãrio: Mato Grosso. Rio de Janeiro, 1983a. t. 3, v. 2. 403p.

FUNDAÇÃO INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATISTICA. Censo agropecuário: Mato Grosso do Sul. Rio de Janeiro, 1983b. t. 3, v. 2. 460p.

HOFFMANN, R. Estimação da desigualdade dentro de estratos no cálculo do indice de Gini e da redúndância. Pesq. Plan. Econ., Rio de Janeiro, 9 (3) : 719 - 738, dez. 1979.

lNSTITUTO BRASILEIÁO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Rio de Janeiro. Estado de Mato Grosso: censos demográficos e econômicos. Rio de Janeiro, 1946. p. 193 - 243.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Rio de Janeiro. Estado de Mato Grosso: censos demográficos e econômicos. Rio de Janeiro, 1956. 376p. (Série Regional, 29).

MARTIN, N. B.; TOYAMA, N. K.; PIRES, Z. A. Análise econômica da produtividade dos recuras na pecuária de corte no Estado de São Paulo. Agric. S.P., 24 ( 1,2): 1-29, 1977.

VALVERDE, O. Fundamentos geográficos do planejamento do município de Corumbá. Rev. Bras. Geog., Rio de Janeiro, 34 (1) : 49-144, jan/mar, 1972.


Submetido em:
02/01/1985

Aceito em:
18/06/1985

5da0d4780e88259c33c12059 resr Articles
Links & Downloads

resr

Share this page
Page Sections