Revista de Economia e Sociologia Rural
https://revistasober.org/article/5da2a1e00e882523472371d3
Revista de Economia e Sociologia Rural
Artigo original

CUSTOS DA EROSÃO DO SOLO EM RAZÃO DOS SEUS EFEITOS INTERNOS E EXTERNOS À  AREA DE PRODUÇAO AGRICOLA 

João Fernando Marques

Downloads: 2
Views: 719

Resumo

Os danos ambientais causados pelo processo de erosão do solo podem ser agrupados em dois conjuntos de efeitos: internos (on site) e externos (off site) à área de produção agrícola. Este trabalho objetiva a obtenção do valor econômico de ambos os efeitos ambientais. Utilizaram-se os efeitos nos sistemas de geração de energia elétrica, como base de avaliação dos efeitos externos, e a perda dos nutrientes do solo nas estimativas dos efeitos internos. Utilizou-se o método do custo de reposição e da produção sacrificada para calcular o valor monetário do dano ambiental interno e externo na bacia hidrográfica do rio Sapuéaí. O valor econômico do dano ambiental externo mostrou ser de expressiva grandeza à taxa de desconto de 3% a. a., correspondendo ao custo equivalente anual de US$ 9.854.490,00. Por outro lado, os valores anuais dos custos internos, impostos pela erosão do solo agrícola, situaram-se por volta de US$ 5.377.913,00. As estimativas anualizadas dos custos externos correspondem a, aproximadamente, o dobro dos custos internos. 

Palavras-chave

Custo ambiental, economia ambiental, custo de reposição. 

Referências

ANUÁRIO ESTATÍSTICO DO SETOR DE FERTILIZANTES 1987-1996. São Paulo: Anda, 1995

AZZONI, C.R. ; ISAI, J.Y. Estimating the costs of environmental protection in Brazil. Ecological Economics) v.11, n.2, p.127-133, Nov. 1994.

BASTOS FILHO, G.S. Contabilizando a erosão do solo: Um ajuste ambiental para o produto agropecuário paulista. Piracicaba: ESALQ-Departamento de Economia e Sociologia Rural,1995.127p. Dissertação Mestrado.

BELINAZZI JUNIOR, R., et al. A ocorrência de erosão rural no Estado de São Paulo. l n · S I M P Ó S I O S O B R E O C O N T R O L E D A E R O S Ã O , 2., 1981. São Paulo: ABGE, 1981.

CARV ALHO, N. de O. Curso sobre transporte de sedimentos e cálculo da vida útil de reservatórios. Florianópolis: ELETROSUL, 1989. lv.

CATI - IEA (São Paulo, SP). Levantamento da produção agrícola a nível de município, Estado de São Paulo, Definitiva, 1995.

CESP (São Paulo, SP). Aproveitamento hidroelétrico do Rio Sapucaí: estudos de viabilidade das Usinas São Domingos, São Sebastião, Monjolinho, Retiro, Anhanguera, Palmeiras, Santa Rita, Sapucaí (relatório final). São Paulo, 1987. v.l. (CESP. Pesquisa e Desenvolvimento, 35).

CLARK II, E.H.; HAVERKAMP, J.A.; CHAPMAN, W. Erodingsoils: the off farm impacts. Washington: The Conservation Foundation, 1985. 252p.

COMUNE, A. E. Meio ambiente, economia e ecomomistas: uma breve discussão. ln: MAY, P. H.; MOTTA, R.S. da, org. Valorando a natureza: análise econômica para o desenvolvimento sustentável. Rio de Janeiro: Campus, 1994. p.45-59.

CONT ADOR, C.R. Avaliáçãosocialdeprojetos. São Paulo: Atlas, 1981. 30lp.

CPFL (Campinas, SP). Localização das usinas da CPFL - OMTT- 00- 12-47. Campinas, 1992.

CROSSON, P. Impacts of erosion on land productivity and water quality in the United States. ln: EL-SW AIFY , S.A; MOLDENHAUER, W.C; LO, A., eds. Soilerosionandconservation. Ankeny: Soil Conservation Society of American, 1985. p.217- 236.

ELETROBRÁS (Rio de Janeiro, RJ). Plano 2015 - Estudo da oferta e demanda: expansão do sistema. Rio de Janeiro, 1993.

GUERRA, A. T. Dicionário Geológico-Geomorfalógico, Rio de Janeiro. Fundação IBGE, 1981. 203p.

INSTITUTO DE ECONOMIA AGRÍCOLA (São Paulo, SP). Economia agrícola paulista: características e potencialidades. Informações Econômicas, São Paulo, v.21, p.1-201, 1991. Suplemento.

INSTITUTO DE PESQUISAS TECNOLÓGICAS (São Paulo, SP). Mapa de erosão do solo do Estado de São Paulo. Escala 1: 1.000.000 Pedição. São Paulo, 1995.

MARQUES, J. F. Efeitos da erosão do solo nageração de energia elétrica: uma abordagem da economia ambiental. São Paulo:USP-FEA, 1995. 257p. Tese Doutorado.

MENCK, P.C.M. Avaliação econômica do controle de erosão na microbacia doRibeirãoIperó,emAraçoiabadaSerra)EstadodeSãoPaulo. Piracicaba: ESALQ, 1993. 18lp. Tese Mestrado.

MONTOYA, L.J.; MASCHIO, L.M. de A.; RODIGHERI, H.R. Impactos da atividade agrícola nos recursos naturais e sua valoração no Estado do Paraná. [Colombo: EMBRAPA-CNPF, 1994]. 1v.

MOITA, R.S. da. Análise de custo benefício do meio ambiente. ln: MARGULIS, S., ed. Meio ambiente: aspectos técnicos e econômicos. Rio de Janeiro: PNUD/IPEA, 1991. p.109-134.

MULLER, A. C. Hidrelétricas) meio ambiente e desenvolvimento. São Paulo: Makron Books, 1996. 412p.

PEARCE, D. Ethics,irreversibility; future generations and the social rate of discount.Intern. J.Environmental Studies,v.21,p.67- 86,1983.

RIBAUDO, M.O. vl-fiter quality benefits from Conservation Reserve Program. Washington, D.C.: USDA,1989, 30p. (USDA. Resources and Technology Division. Economic Research Service. Agricultura! Economic Research Service. Agricultura! Economic Report, 606).

SCHWARTZ,H.; BERNEY, R., ed. Social and economic dimensions of project evaluation. Washington:Inter-American Development Bank,1987. 338p.

SORRENSON, W:J.; MONTOY A, L.J. Implicações econômicas da erosão do solo e do uso de algumas práticas conservacionistas no Paraná. Londrina: IAP AR, 1989. l l ü p . (IAP AR. Boletim Técnico, 21).

SOUTHGATE, D.; MACKE, R. The downstream benefits of soil conservation in third world hydroeletric watersheds. Land Economics, v.65, n.l, p.38-48, Feb. 1989.

SILVA NETO, A.L.da Estimates of national parameters for the economic analysis ofprojects in Brazil. ProjectAppraisal, v.8, n.4, p.231-239, Dec. 1993.

VELOZ, J.A.; SOUTHGA TE, D.D.; HITZHUSEN, F.J.; MACGREGOR, R.D. The economics of erosion control in Republican Domenican case. Land Economics, v.61, p.145-155, May, 1985.

WEITZMAN, M.L. On the environmental discount rate. Journal of Environmental Economics and Management, v.26,n.2, p.200-209, March, 1994.

WINTER-NELSON, A. Discount rates, natural resources and the measurement of aggregate economic growth in Africa.Ecological Economics,v.17,n. l,p.21-32,April,l996.

 

5da2a1e00e882523472371d3 resr Articles
Links & Downloads

resr

Share this page
Page Sections