Revista de Economia e Sociologia Rural
https://revistasober.org/article/5da51bd80e88250425ba68e1
Revista de Economia e Sociologia Rural
ARTIGO ORIGINAL

DESENVOLVIMENTO DA BIOTECNOLOGIA NO BRASll

José Maria F. J. da Silveira; Sergio L. M. Salles Filho

Downloads: 4
Views: 984

Resumo

Este artigo visou demonstrar que a emergência de novas biotecnologias está fortemente condicionada pelas trajetórias inovadoras e padrões correnciais da in- dústria à montante da agricultura. O trabalho parte da idéia da existência de diferentes padrões tecnológicos setoriais. Utilizou a metodologia proposta por Pavitt (1984), em que a indústria química, a indústria de equipamentos e a agricultura são respectiva- mente enquadrados como "baseados na ciência", "prodútores intensivos ofertantes es- pecializados" e "setores dominados por segmentos ofertantes". Após rápida recupera- ção do desenvolvimento biotecnológico internacional, passou-se à análise de "estudos relevantes" para a questão biotecnológica no Brasil. Segúindo as "pistas'.' propostas por Pavitt e os principais resultados de trabalhos de pesquisas realizados, demons- trou-se que as inovações biotecnológicas se inserem de forma diferenciadá nas indús- trias a elas relacionadas. Há casos em que a questão biotecnológica sugere reforço à posição de empresas líderes nacionais. Em outros, o papel do esforço público é funda- mental para o sucesso das pesquisas realizadas. Finalmente, há casos nítidos onde a busca de capacitação nacional visa reforçar posições em acordos a serem preferencial- mente realizados com firmas inovadoras de destaque internacional Não há, pois, uma única forma de enfrentar a questão do desenvolvimento da biotecnologia no Brasil. Todavia, tanto a formação de recursos humanos quanto o estímulo à criação da indús- tria de base biotecnológica no País são requerimentos básicos para o seu desenvolvimento.

Palavras-chave

agricultura brasileira.

Referências

ALBUQUERQUE, R. H.: ORTEGA, A. C.; REYDON, B.P. O Setor público de pes- quisa agrícola no Estado de São Paulo. Parte 1. Cad. Dif. Tecn. Brasília, 3(1):79-132, jan./abr. 1986.

CASTRO, A. C. & NAIDIN, L. Prioridades para uma agenda de pesquisas econômicas em políticas de C & T para a agricultura FINEP, 1985.

DOS!, F. Technical change and industrial transformation. London, Macl\1illan Press, 1984. 309p.

GADELHA, C. A. G. Os condicionantes da produção de biofármacos da classe terapêutica dos antibióticos. As possibilidades de introdução da biotecnologia no Brasil Can1pinas, 1986. 106p. Relatório Final do Convênio lE/UNICAMP-MIC/STI.

PA VITT, K. '"Chips" and "Trajetories" How will the semiconductor intluence x The sources and directions of technical changes'? Brigton: U.K., S.P.R.U. 1984. 26p.

MARQUES, M. B. et ai. Biotecnologia em sa6de no Brasil Limitações e perspec- tivas. s. 1. Ministério da Saúde, FlOCRUZ, 1987. 92p. (Série Política de Saúde, 3).

REYDON, B. P. A indústria de fertilizantes no Brasil: aspectos de sua dinâmica. Campinas, UNlCAMP, 1987. 52p. Relatório Convênio lE/IPEA.

SALLES FILHO, S. et ai. Biotecnologia e produção de alimentos. Núcleo de Po- lítica Científica e Tecnologia. Campinas, UNICAMP , 1986.

SILYEIRA, J. M. F. J. da. Progresso técnico e oligopólio: as especificidades da indústria de sementes no Brasil. Can1pmas, IE/UNICAMP, 1985. 159p. Disserta- ção de Mestrado.

SILVEIRA, J. M. F. J. da. O desenvolvimento das biotecnologias e a avaliação de seus impactos econômicos. Cad. Dif. Tecn., 3(3):407-18, set./dez. 1986a.

SILVEIRA, J. M. F. J. da. A produção de insumos veterinários de origem biológica e o desenvolvimento da biotecnologia no Brasil Campinas, UNICAMP, 1986b. Relatório Fianl do Convênio IE/UNICAMP-MIC/STI.

5da51bd80e88250425ba68e1 resr Articles
Links & Downloads

resr

Share this page
Page Sections