Revista de Economia e Sociologia Rural
https://revistasober.org/article/doi/10.1590/1234-56781806-9479005303008
Revista de Economia e Sociologia Rural
Artigo original

Sementes da Paixão: agroecologia e resgate da tradição

Jonatta Sousa Paulino; Ramonildes Alves Gomes

Downloads: 1
Views: 1165

Resumo

Resumo:: A favor de uma agricultura livre de agrotóxicos e contra as sementes geneticamente modificadas que não se adaptam ao seu sistema produtivo, agricultores familiares de vários municípios do semiárido paraibano têm criado Bancos de Semente Comunitários (BSC), que se integram numa rede chamada de Sementes da Paixão. Esta rede toma por base ideais da agroecologia, prática agrícola alternativa com preceitos ecológicos e sustentáveis. Os agricultores que participam desta rede defendem constantemente uma identidade campesina e tradicional, em contraposição à modernização capitalista. Assim, graças à repetição desta necessidade de efetivar o resgate da tradição dos agricultores, toma-se como objetivo central refletir sobre a fala de resgate à tradição propagada pelos agricultores agroecológicos; pelos técnicos que com eles trabalham e pelos estudiosos que escrevem sobre esta temática, procurando entender, por meio de uma análise de trabalhos que tratam das experiências com as Sementes da Paixão, quais seriam as condições de existência da invenção desta tradição, e qual o intuito de promover tal resgate dentro de um contexto histórico moderno. Conclui-se que a chamada tradição não se oporia à modernidade e à ciência, mas seria um modo de desenvolvimento e aplicação de saberes distintos do padrão dominante de racionalidade.

Palavras-chave

Modernidade, Sementes da paixão, Invenção das tradições.

Referências

ALTIERI, M. Agroecologia: bases científicas para uma agricultura sustentável. 3. ed. São Paulo, Rio de Janeiro: Expressão Popular, AS-PTA, 2012.

CAMPOS, J. D.; NETO J., R. Bancos de Sementes Comunitários: estratégia que está resgatando práticas de Solidariedade e Cidadania no Médio Sertão da Paraíba, 2012. Disponível em: <Disponível em: http://www.aea.org.br/premio/trabalhos2012/responsabilidade_social_mencao_honrosa.pdf >. Acessado em: 05 de julho de 2012.

CLEMENTINO, J. O., FERNANDES, M. e RAMALHO, A. Apropriação de práticas tradicionais nas atuais políticas de desenvolvimento - o caso dos bancos de sementes comunitários da Paraíba. I Encontro Regional de Estudos Rurais, UEPB, Campina Grande, setembro de 2010.

CLEMENTINO, J. O. (2010a) Estratégias de comunicação da V Festa da Semente da Paixão na Paraíba e sua relação com a esfera pública. Campina Grande: Intercom Nordeste, jun. 2010a.

CLEMENTINO, J. O. Estratégias de resistência e busca de uma identidade para os agricultores rurais - uma análise da V Festa da Semente da Paixão. Revista Eletrônica Temática, ano VI, n. 9, 2010b.

CLEMENTINO, J. O. Os desafios dos guardiões das sementes na Paraíba - uma análise das Cartas Políticas da Festa Estadual da Semente da Paixão. IEncontro Regional de Estudos Rurais, UEPB, Campina Grande, set. 2010c.

CUNHA, L. H., PAULINO, J. S. e MENEZES, V. F. Políticas territoriais: desenvolvimento enquanto modernização institucional. In: BURITY, J. A., RODRIGUES, C. M. L.; SECUNDINO, M. de A. (Orgs.) Desigualdades e justiça social1: dinâmica estado-sociedade. Belo Horizonte, MG: Argvmentvm, 2010.

DUQUE, G. "Conviver com a seca": contribuição da Articulação do Semiárido/ASA para o desenvolvimento sustentável. Revista Desenvolvimento e Meio Ambiente, Editora UFPR, n. 17, p. 133-140, jan./jun. 2007.

DUQUE, G.; ARAÚJO, M. da G. B. O protagonismo da juventude no Semiárido: a experiência do Coletivo Regional do Cariri, Seridó e Curimataú (PB). Revista Agriculturas, v. 8, n. 1, mar. 2011.

EISENSTADT, S. N. Modernidades múltiplas. Sociologia, Problemas e Práticas, n. 35, p. 139-163, 2001.

FERREIRA, J. Experiência e tecnologia do corpo político em Foucault ao corpo vivido em Merleau-Ponty. In: AMARAL JR, A.; BURITY, J. (Orgs.). Inclusão social, identidade e diferença: perspectivas pós-estruturalistas da análise social. São Paulo: Annablume, 2006.

FOUCAULT, M. A ordem do discurso. 6. ed. São Paulo: Edições Loyola, 2000.

FOUCAULT, M. Microfísica do poder. São Paulo: Editora Graal, 2007.

FOUCAULT, M. A arqueologia do saber. 7. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2008.

FOUCAULT, M. Segurança, território, população. São Paulo: Martins Fontes, 2008b.

FOUCAULT, M. O nascimento da biopolítica. São Paulo: Martins Fontes, 2008c.

FOUCAULT, M. O que é um autor? In: FOUCAULT, M. Ditos & Escritos III. Trad. Inês Autran Dourado Barbosa. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2009, p. 264-298.

GIDDENS, A. As conseqüências da modernidade. São Paulo: Ed. UNESP, 1991.

HOBSBAWM, E.; RANGER, T. A invenção das tradições. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1984.

LATOUR, B. Jamais formos modernos: ensaio de antropologia simétrica. Rio de Janeiro: Ed. 34, 1994.

LATOUR, B. Ciência em ação. São Paulo: Editora Unesp, 2000.

LATOUR, B. A esperança de pandora: ensaios de antropologia simétrica. Rio de Janeiro: Editora 34, 2001.

LATOUR, B. Redes que a razão desconhece: laboratórios, bibliotecas e coleções. In: PARENTE, A.Tramas da rede. Novas dimensões filosóficas, estéticas e políticas da comunicação. Porto Alegre: Sulina, 2004. p. 39-63.

LATOUR, B. La cartographie des controverses, 2005. Disponível em: <Disponível em: http://www.technologyreview.fr/?id=65 >. Acesso em: 03/07/2007. In: PEDRO, R.Ciência, tecnologia e sociedade - pensando as redes, pensando com as redes. Liinc em Revista, Rio de Janeiro, v. 4, n. 1, p. 1-5, mar. 2008.

LATOUR, B. Reensamblar lo social: una introducción a la teoria del actor-red. Buenos Aires: Manancial, 2008.

LAW, J. Organizing modernity. Oxford-UK and Cambridge-USA: Blackwell. Introduction, 1994, p. 1-30.

LENZI, C. L. Para uma imaginação sociológica da ecologia: uma análise do pensamento de Giddens. Ambiente e Sociedade, v. 9, n. 1, p. 105-126, 2006.

MARQUES, E. C. Notas críticas à literatura sobre Estado, políticas estatais e atores políticos. BIB, Rio de Janeiro, n. 43. p. 67-102, 1997.

MARTÍNEZ ALIER, J. O ecologismo dos pobres: conflitos ambientais e linguagens de valoração. São Paulo: Contexto, 2007.

NASCIMENTO, J. M.; MOREIRA, E. Sementes da Paixão: estratégia de reprodução da agricultura familiar no Alto Sertão Paraibano. In: Semiluso - Seminário Luso Brasileiro, Ano II, 26 a 28 de junho de 2008, João Pessoa, PB. Editora Universitária UFPB, 2008a. CDROM.

NASCIMENTO, J. M.; MOREIRA, E. O papel dos assentamentos rurais e dos bancos de Sementes da Paixão na reconstrução do território: das discussões epistemológicas ao caso de Três Irmãos. Artigo apresentado no XV Encontro Estadual de Geografia. Natal-RN, 2008b.

PLOEG, J. D. van der. Camponeses e império alimentares: lutas por autonomia e sustentabilidade na era da globalização. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2008.

SAUER, S. Terra e modernidade: a reinvenção do campo brasileiro. São Paulo: Expressão Popular, 2010.

SILVA, E. D. et al. Pesquisa participativa para avaliação e seleção das Sementes da Paixão junto às famílias agricultoras na Paraíba. Trabalho apresentado no VIICongresso Brasileiro de Agroecologia. Fortaleza, CE - 12 a 16/12/2011.

SOUZA, L. R. de S.; COSTA, J. E. da. A Inovação Agroecológica Social: discussões acerca da coletivização do conhecimento agroecológico num recorte regional. Trabalho apresentado no 5º Encontro da Rede de Estudos Rurais - UFPA, Belém-PA, 2012.

ZANONI, M.; FERMENT G. (Orgs.). Transgênicos pra quem? Brasília: MDA, 2011.
 

5cf348450e882530194aa39e resr Articles
Links & Downloads

resr

Share this page
Page Sections