Revista de Economia e Sociologia Rural
https://revistasober.org/article/doi/10.1590/1234-56781806-94790550408
Revista de Economia e Sociologia Rural
Artigo original

Coletar ou Cultivar: as escolhas dos produtores de açaí-da-mata (Euterpe precatoria) do Amazonas2

Jan Feldmann Martinot; Henrique dos Santos Pereira; Suzy Cristina Pedroza da Silva

Downloads: 1
Views: 686

Resumo

Resumo:: A crescente demanda de mercado por produtos florestais não madeireiros oferece uma oportunidade de desenvolvimento econômico que poderia aliar a inclusão social produtiva de agricultores familiares com a conservação dos ecossistemas florestais. No entanto, o aumento da produção poderá significar a substituição do manejo extrativo das florestas pelo monocultivo, anulando seus efeitos positivos quanto à conservação das florestas. Buscou-se identificar os fatores determinantes que levam os agricultores familiares tradicionais do baixo rio Manacapuru a se engajarem na atividade extrativista ou de cultivo do açaí-da-mata (Euterpe precatória), a espécie nativa do estado do Amazonas. Dado que a coleta extrativa dos frutos é feita mediante a escala das árvores, a decisão de produção parece depender principalmente da oferta de mão de obra masculina jovem, de trabalhadores com a habilidade e força física para realizar essa tarefa. Já a decisão de cultivo pode estar associada à maior disponibilidade de capital financeiro que as famílias obtêm da renda das atividades agrícolas. As famílias que cultivam o açaí mantiveram a prática de coleta extrativa, indicando que o plantio de pequenas áreas de cultivos consorciados representa uma estratégia de aumento da produção sem que necessariamente haja a completa substituição do extrativismo pelo cultivo da espécie.

Palavras-chave

agricultura familiar, extrativismo, mão de obra, socioeconomia

Referências

ALBIERO, D. et al. Proposta conceitual de colhedoras autopropelidas de açaí (Euterpe oleracea Mart.) para a região amazônica. Rev. Ciênc. Agron. Fortaleza, v. 43, n. 2, p. 382-389, 2012. Disponível em:<Disponível em:http://dx.doi.org/10.1590/S1806-66902012000200023 >. Acesso em: fev. 2016.

AMAZONAS. Secretaria de Desenvolvimento Sustentável do Estado do Amazonas (SDS): Cadeia produtiva do açaí no estado do Amazonas. MENEZES, M. et al. SDS, Série Técnica Meio Ambiente, v. 1, Manaus, 2005.

ARCO-VERDE, M. F. Sustentabilidade biofísica e socioeconômica de sistemas agroflorestais na Amazônia brasileira. Tese (Doutorado) - Embrapa: Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, Boa Vista, 2008. Disponível em: <http://dspace.c3sl.ufpr.br/dspace/bitstream/handle/1884/14429/SumarioTese1.pdf?sequence=1>.

ARNOLD, J. E. M; e PÉREZ, M. R. Can non-timber forest products match tropical forest conservation and development objectives? Ecological Economics, v. 39, n. 3, p. 437-447, 2001. Disponível em: <Disponível em: http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0921800901002361 >. Acessado em: 11/2012.

BECKER, B. K. Amazônia: geopolítica na virada do III milênio. Rio de Janeiro: Garamond, 2004.

BENTES-GAMA, M. M. et al. Açaí (Euterpe spp.): características, formação de mudas e plantio para a produção de frutos. Circular Técnica, Embrapa-RO. Porto Velho, 2005. Disponível em: <https://www.infoteca.cnptia.embrapa.br/infoteca/bitstream/doc/859446/1/ct80acai.pdf>.

CALDERON, R. A. Mercado de Produtos Florestais Não Madeireiros na Amazônia brasileira. Tese (Doutorado em Ciências Florestais, Publicação PPGEFL) - Departamento de Engenharia Florestal, Universidade de Brasília, Brasília, DF, 2013.

CLEMENT, C. R. A Lógica do mercado e o futuro da produção extrativista. In: VISimpósio Brasileiro de Etnobiologia e Etnoecologia, Sessão 5: O (neo) extrativismo é viável socioambientalmente? Sociedade Brasileira de Etnobiologia e Etnoecologia, U. F. R. G. S., Porto Alegre, 2006.

CLEMENT, C. R. et al. Diversidade vegetal em solos antrópicos da Amazônia. INPA, Manaus, 2007. Disponível em: <http://www.biochar.org/joomla/images/stories/Cap_11_Clement.pdf>.

FARIAS NETO, J. T; RESENDE, M. D. V; e OLIVEIRA, M. S. P. Seleção simultânea em progênies de açaizeiro Irrigado para produção e peso do fruto. Rev. Bras. Frutic., Jaboticabal-SP, v. 33, n. 2, p. 532-539, jun. 2011.

FERREIRA, E. Açaí Solteiro. In: SHANLEY, P; MEDINA, G. (Orgs.). Frutíferas e plantas úteis na vida amazônica. Belém: CIFOR, Imazon, 2005.

FOODBIZDAILY. ‘International Trade Opportunity Report: The Brazilian Açaí Berry’ 2009. Disponível em: <Disponível em: http://foodbizdaily.com/articles/91816-the-acai-berry-trade-opportunity-a-quickreport.aspx >. Acesso em: jan. 2013.

FRAXE, T. J. P; PEREIRA, H. P; e WITKOSKI, A. C. (Orgs.). Comunidades Ribeirinhas Amazônicas: modos de vida e uso dos recursos naturais. Manaus: EDUA, 2007.

FREITAS, M. A. B. et al. Floristic impoverishment of Amazonian floodplain forest managed for açaí fruit production. Forest Ecology and Management, n. 351, p. 20-27, 2015.

GALOTTA, A. L. Q. A; e BOAVENTURA, M. A. D. Constituintes químicos da raiz e do talo da folha do açaí (Euterpe precatória Mart., Arecaceae). Quím. Nova, v. 28, n. 4, p. 610-613, 2005. Disponível em: <Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-40422005000400011 >. Acesso em: nov. 2012.

HEINRICH, M; DHANJI, T; e CASSELMAN, I. Açai (Euterpe oleracea Mart.) - a phytochemical and pharmacological assessment of the species’ health claims. Phytochem Lett, v. 4, n. 1, p. 10-21, 2011.

HENKEL, K; e AMARAL, I. G. Análise agrossocial da percepção de agricultores familiares sobre sistemas agroflorestais no nordeste do estado do Pará, Brasil. Bol. Mus. Para. Emilio Goeldi Cienc. Hum., v. 3, n3, Belém, 2008. Disponível em: <http://scielo.iec.pa.gov.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1981 81222008000300003&lng=es&nrm=isso>.

HERRERA, J. A; RAMOS, P; e SILVA, J. U. B. Novas estratégias produtivas na Amazônia: estudo sobre os produtores agropecuários familiares no Sudoeste Paraense. Rev. Econ. Sociol. Rural, Brasília, v. 52, supl. 1, p. 223-242, 2014. Disponível em: <Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0103-20032014000600012 >. Acesso em: fev. 2016.

HERRERO-JÁUREGUI, C; POKORNY, B; e CASADO, M. A. Coming down to Earth: a critical analysis of a Project for the commercialization of non-timber forest products in a community of Eastern Amazon. Pesquisa Florestal Brasileira, v. 31, n. 66, p. 131-142, 2011.

HOMMA, A. K. O. Extrativismo vegetal na Amazônia: limites e oportunidades. EMBRAPA, Brasília, 1993.

HOMMA, A. K. O. Extrativismo, biodiversidade e biopirataria: como produzir benefícios para a Amazônia. Embrapa Informação Tecnológica. 2007. Brasília.

HOMMA, A. K. O. Plant extractivism or plantation: what is the best option for the Amazon? Estudos Avançados, v. 26, n. 74, p. 167-186, 2012.

HOMMA, A. K. O. et al. AÇAÍ: Novos desafios e tendências. Amazônia: Ci. & Desenv ., v. 1, n. 2, Belém, jan./jun. 2006. Disponível em: <Disponível em: http://www.agencia.cnptia.embrapa.br/Repositorio/AcaiDesafiosTendencias_000gbz49ms202wx5ok01dx9lcbdi7gww.pdf >. Acesso em: maio 2012.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Produção da Extração Vegetal e da Silvicultura - 2015, Vol. 30, Rio de Janeiro: IBGE, 2016.

IDAM - Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas. Relatório de Atividades 2012. Manaus, 2013.

KAGEYAMA, A. A; BERGAMASCO, S. M. P. P; e OLIVEIRA, J. T. A. Uma tipologia dos estabelecimentos agropecuários do Brasil a partir do censo de 2006. Rev. Econ. Sociol. Rural, Brasília, v. 51, n. 1, p. 105-122, mar. 2013. Disponível em: <Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-20032013000100006&lng=en&nrm=iso >. Acesso em: 7 maio 2016.

LESCURE, J. P. Algumas questões a respeito do extrativismo. In: EMPERAIRE, L. (Org.). A floresta em jogo: o extrativismo na Amazônia Central. São Paulo: UNESP, 2000.

LOPES, L. M. B. Distribuição dos retornos sociais do manejo do açaí no estado do Pará. Belém: Banco da Amazônia, 2003. Disponível em: <Disponível em: http://www.bancoamazonia.com.br/images/arquivos/institucional/biblioteca/tematica/Manejo_do_Acai.pdf >. Acesso em: fev. 2013.

MARINHO, T. P; e SCHOR, T. Nos interflúvios do rural e do urbano na Amazônia: o caso de Codajás-Amazonas, Brasil. ACTA Geográfica, Boa Vista, v. 6, n. 11, p. 69-81, 2012. Disponível em: <Disponível em: http://revista.ufrr.br/index.php/actageo/article/view/466/668 >. Acesso em: fev. 2012.

MARQUES, M. I. M. A atualidade do uso do conceito de camponês. Revista NERA, Presidente Prudente, v. 11, n. 12, p. 57-67, 2008. Disponível em:<Disponível em:http://www2.fct.unesp.br/nera/revistas/12/9_marques_12.pdf >. Acesso em: fev. 2016.

MEDINA, G. et al. Development conditions for family farming: lessons from Brazil. World Development, v. 74, p. 386-396, 2015. Disponível em:<Disponível em:http://dx.doi.org/10.1016/j.worlddev.2015.05.023 >. Acesso em: fev. 2016.

NETTING, R. M. Smallholders, householders: farm families and the ecology of intensive, sustainable agriculture. Stanford, Calif.: Stanford Univ. Press, 1993.

NOGUEIRA, A. K. M; SANTANA, A. C; e GARCIA, W. S. The dynamics of açai market in Pará State from 1994 to 2009. Rev. Ceres, Viçosa, v. 60, n. 3, p. 324-331, 2013. Disponível em <Disponível em http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-737X2013000300004&lng=pt&nrm=iso >. Acesso em:mar. 2016.

NYGREN, A. et al. Ecological, socio-cultural, economic and political factors influencing the contribution of non-timber forest products to local livelihoods: case studies from Honduras and the Philippines. Small-scale Forest Economics, Management and Policy, v. 5, n. 2, p. 249-269, 2006. Disponível em: <Disponível em: http://link.springer.com/article/10.1007%2Fs11842-006-0013-5#page-1 >. Acesso em: jan. 2016.

PACHECO-PALENCIA, L; DUNCAN, C. E; e TALCOTT, S. T. Phytochemical Composition and Thermal Stability of Two Commercial Açai Species, Euterpe oleracea and Euterpe precatoria. Food Chemistry. Institute of Food and Agricultural Sciences - University of Florida, Food Chemistry, v. 115, n. 4, p. 1199-1205, 2009. Disponível em: <Disponível em: http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0308814609000715 >. Acesso em: maio 2011.

PEGLER, L. Peasant inclusion in global value chains: economic upgrading but social downgrading in labour processes? The Journal of Peasant Studies, v. 42, n. 5, p. 929-956, 2015.

PERREIRA, C. F. Vida ribeirinha no Lago Cururu: territorialidade, formas de apropriação e usos dos territórios do Baixo Solimões (AM). Dissertação (Mestrado em Sociedade e Cultura na Amazônia - PPGSCA) - UFAM, Manaus, 2007.

REGO, J. F. Amazônia: do extrativismo ao neo-extrativismo. Ciência Hoje , v. 25, n. 147, p. 62-65, 1999. Disponível em: <Disponível em: http://www.adur-rj.org.br/5com/pop-up/extrativismo_neoextrativismo.pdf >. Acesso em: maio 2011.

RIBEIRO, G. D. Açaí-solteiro, açaí-do-amazonas (Euterpe precatória), uma boa opção de exploração agrícola em Rondônia. Ambiente Brasil, Artigo Agropecuário. Rondônia, 2005Disponível em: <Disponível em: http://ambientes.ambientebrasil.com.br/agropecuario/artigo_agropecuario/acai-solteiro,_acai-do-amazonas_%28euterpe_precatoria%29,_uma_boa_opcao_de_exploracao_agricola_em_rondonia.html >. Acesso em: jun. 2011.

RIBEIRO, R. N. S; SANTANA. A. C; e TOURINHO, M. M. Análise exploratória da socioeconomia de sistemas agroflorestais em várzea flúvio-marinha, Cametá-Pará, Brasil. Revista de Economia e Sociologia Rural, v. 42, n. 1. p.133-152, 2015

ROCHA, E. Potencial ecológico para o manejo de frutos de açaizeiro (Euterpe precatória Mart.) em áreas extrativistas no Acre, Brasil. Acta Amaz. v. 34, n. 2, p. 237-250, Manaus, 2004. Disponível em: <Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/aa/v34n2/v34n2a11.pdf >. Acesso em: maio 2011.

ROGEZ, H. Açaí: preparo, composição e melhoramento da conservação. Belém: EDUFPA, 2000.

SACRAMENTO, J. M. C; KALSING, J; e SCHULTZ, C. Açaí no Norte e juçara no Sul: a necessidade do estudo de cadeias de produtos. Cadernos de Agroecologia, v. 10, n. 3, 2015.

SAMPAIO, P. B. Avaliação da capacidade antioxidante do açaí em plasma humano. Dissertação (Mestrado em Ciência e Tecnologia de Alimentos) - Instituto de Tecnologia, Universidade Federal do Pará, local, 2006.

SANTANA, A. C; PESSOA, J. D. C; e SANTANA, A. L. O mercado de açaí e os desafios tecnológicos da Amazônia. In: PESSOA, J. D. C; e TEIXEIRA, G. H. A. (Ed.). Tecnologias para inovação nas cadeias euterpe. Brasília, DF: Embrapa, 2012.

SANTOS, J. C; SENA, A. L. S; e HOMMA, A. K. O. Viabilidade econômica do manejo de açaizais no estuário amazônico do Pará. In: GUIDUCCI, R. C. N; LIMA FILHO, J. R; e MOTA, M. M. (Eds.). Viabilidade econômica de sistemas de produção agropecuários. Brasília: Embrapa, 2012, p. 351-409.

SHACKLETON, C. M; e PANDEY, A. K. Positioning non-timber forest products on the development agenda. Forest Policy and Economics, v. 38, p. 1-7, 2014. Disponível em: <Disponível em: http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S1389934113001500 >. Acesso em: jan. 2016.

SHACKLETON, S; SHANLEY, P; e NDOEY, O. Invisible but viable: recognising local markets for non-timber forest products. International Forestry Review, v. 9, n. 3, p. 697-712, 2007. Disponível em: <Disponível em: http://dx.doi.org/10.1505/ifor.9.3.697 >. Acesso em: jan. 2016.

TAVARES, G. S; e HOMMA, A. K. O. Comercialização do açaí no estado do Pará: alguns comentários. Observatorio de la Economía Latinoamericana.

TONON, R. V; BRABET, C; e HUBINGER, M. D. Aplicação da secagem por atomização para a obtenção de produtos funcionais com alto valor agregado a partir do açaí. Inc. Soc., Brasília, DF, v. 6 n. 2, p. 70-76, jan./jun. 2013.

TRIOLA, F. M. Introdução à Estatística . 7. ed. Rio de Janeiro: LTC, 1999.

VANWEY, L. K; GUEDES, G. R; e D’ANTONA, A. O. Out-migration and land-use change in agricultural frontiers: insights from Altamira settlement project. Population and Environment, v. 34, n. 1, p. 44-68, 2012. Dispopnível em: <http://doi.org/10.1007/s11111-011-0161-1>.

YUYAMA, L. K. O. et al. Caracterização físico-química do suco de açaí de Euterpe precatória Mart. oriundo de diferentes ecossistemas amazônicos. Acta Amazônica, v. 41, n. 4, p. 545-552, 2011
 

5cee8b2e0e8825f346a63c0f resr Articles
Links & Downloads

resr

Share this page
Page Sections