Revista de Economia e Sociologia Rural
https://revistasober.org/article/doi/10.1590/1806-9479.2019.219449
Revista de Economia e Sociologia Rural
Artigo original

Meio século de interpretações sobre o rural brasileiro (1968-2018)

Interpretations about Brazilian agrarian development over a period of half century (1968-2018)

Zander Navarro

Downloads: 2
Views: 92

Resumo

O presente artigo discute as principais narrativas intelectuais e acadêmicas que analisaram “o rural brasileiro” pelos ângulos disciplinares das Ciências Sociais, nos últimos 50 anos. O artigo identifica a existência de temas originais, alguns duradouros, em função da história social do País, reconhecendo a partir da década de 1970 um período aproximado de 20-25 anos que representa a fase mais profícua de tais estudos. Conclui que no presente século tem ocorrido um arrefecimento de interesse nos estudos rurais, especialmente na Sociologia e na Antropologia, e uma crescente hegemonia de enfoques da Economia Rural de tradição neoclássica.

Palavras-chave

Brasil rural, modos de interpretação dos processos sociais e econômicos, tradições intelectuais e acadêmicas sobre o rural brasileiro

Abstract

The article discusses the main intellectual and academic narratives that studied “the rural” in Brazil through the focus of the disciplines of Social Sciences over the last 50 years. It suggests that there are several original themes, some of them persistent because of the social history of the country. Starting in the 1970s, there is a period of approximately 20-25 years that represents the richest phase of these studies. The article concludes that, in the current century, a diminishing interest in rural studies has been observed, especially in Sociology and Anthropology, and a growing hegemony of interpretations linked to the neoclassical tradition of Rural Economics.
 

Keywords

Rural Brazil, social and economic processes and their modes of interpretation, intellectual and academic traditions about rural domains in Brazil

Referências

Abramovay, R. (1992). Paradigmas do capitalismo agrário em questão. São Paulo: Editora da Unicamp.

Alves, E. (2006). Migração rural-urbana, agricultura familiar e novas tecnologias (Coletânea de Artigos Revistos). Brasília: Embrapa.

Bacha, E. (2012). Política brasileira de café: uma avaliação centenária. In E. Bacha (Ed.), Belíndia 2.0. (pp. 305-408). Rio de Janeiro: Civilização Brasileira.

Baiardi, A. (2007). O pensamento econômico da sociedade brasileira de economia, administração e sociologia rural. In T. Szmrecsányi (Org.), Ensaios de história do pensamento econômico no Brasil contemporâneo (vol. 1, pp. 210-225). São Paulo: Ordem dos Economistas do Brasil.

Barros, J. R. M. (1983). A evolução recente da agricultura brasileira. In J. R. M. Barros (Ed.), Desenvolvimento da agricultura: estudos de casos. São Paulo: Pioneira.

Goodman, D., Sorj, B., & Wilkinson, J. (1987). From farming to biotechnology: a theory of agro-industrial development. Oxford: Blackwell.

Bruno, R. A. (1997). Senhores da terra, senhores da guerra: a nova face política das elites agroindustriais no Brasil. Rio de Janeiro: Forense Universitária, Editora da UFRRJ.

Buainain, A. M., Silveira, J. M., Alves, E., & Navarro, Z. (2013). Sete teses sobre o mundo rural brasileiro. Política Agrícola, 22(2), 105-121.

Buainain, A. M., Silveira, J. M., Alves, E., & Navarro, Z. (2014). O mundo rural no Brasil do século 21: a formação de um novo padrão agrário e agrícola. Campinas: Unicamp.

Cândido, A. (1964). Os parceiros do Rio Bonito. Rio de Janeiro: José Olympio Editora.

Cândido, A. (2006). A sociologia no Brasil. Tempo Social, 18(1), 271-301.

Carneiro, M. J. (1998). Camponeses, agricultores e pluriatividade. Rio de Janeiro: Contracapa Livraria.

Castro, A. B. (1969). Sete ensaios sobre a economia brasileira. Rio de Janeiro: Forense.

Castro, A. C. (1979). Evolução recente e situação atual da agricultura brasileira (Coleção Estudos sobre o Desenvolvimento Agrícola, 7). Brasília: BINAGRI.

Chaddad, F. (2016). The economics and organization of brazilian agriculture. Londres: Academic Press.

Comitê Interamericano de Desenvolvimento Agrícola – CIDA. (1966). Posse e uso da terra e desenvolvimento sócio-econômico do setor agrícola. Washington: OEA.

Delgado, G. C. (1985). Capital financeiro e agricultura no Brasil 1965-1985. São Paulo: Ícone.

Faoro, R. (1958). Os donos do poder. Rio de Janeiro: Editora Globo.

Frehse, F. (2018). A sociologia enraizada de José de Souza Martins. São Paulo: Com-Arte.

Furtado, C. (1972). A estrutura agrária no subdesenvolvimento brasileiro. In C. Furtado. Análise do modelo brasileiro (pp. 91-120). Rio de Janeiro: Civilização Brasileira.

Garcia, A. (2003). A sociologia rural no Brasil: entre escravos do passado e parceiros do futuro. Sociologias, 5(10), 154-189.

Goodman, D. (1977). Rural structure, surplus mobilization, and modes of production in a peripheral region: The Brazilian Northeast. The Journal of Peasant Studies, 5(1), 3-32.

Goodman, D., & Redclift, M. R. (1981). From peasant to proletariat: capitalist development and agrarian transition. Oxford: Blackwell.

Graziano Neto, F. (1982). Questão agrária e ecologia. São Paulo: Brasiliense.

Grindle, M. (1986). State and countryside: development policy and agrarian politics in Latin America. Baltimore: Johns Hopkins University Press.

Janvry, A. (1981). The agrarian question and reformism in Latin America. Baltimore: Johns Hopkins University Press.

Hoffmann, R., & Ney, M. G. (2010). Evolução recente da estrutura fundiária e propriedade rural no Brasil. In J. G. Gasques, J. E. Vieira Filho, & Z. Navarro. A agricultura brasileira: desempenho, desafios e perspectivas (pp. 45-66). Brasília: IPEA.

Jabbour, E. (2017). O marxismo e outras influências sobre o pensamento de Ignácio Rangel. Economia e Sociedade, 26(3), 561-583.

Kageyama, A. (1990). O novo padrão agrícola brasileiro: do complexo rural aos complexos agroindustriais. In G. Delgado (Ed.), Agricultura e políticas públicas (pp. 113-223). Brasília: IPEA.

Lopes, J. R. (1981). Do latifúndio à empresa: unidade e diversidade do capitalismo no campo. Petrópolis: Vozes.

Lopes, J. R. L. (1978). Empresas e pequenos produtores no desenvolvimento do capitalismo agrário em São Paulo (1940-1970). Estudos CEBRAP, (22), 41-110.

Loureiro, M. R. (1977). Parceria e capitalismo. Rio de Janeiro: Zahar.

Loureiro, M. R. (1987). Terra, família e capital. Formação e expansão da pequena burguesia rural em São Paulo. Petrópolis: Vozes.

Mann, S., & Dickinson, C. (1987). Obstáculos ao desenvolvimento da agricultura capitalista. Literatura Econômica, 9(1), 7-26.

Marighela, C., Borges, F. C., Alves, M., Valverde, O., Schiling, P., & Facó, R. (1980). A questão agrária no Brasil: textos dos anos sessenta. São Paulo: Editora Brasil Debates.

Martine, G., & Garcia, R. G. (1987). Os impactos sociais da modernização agrícola. São Paulo: Editora Caetés.

Martins, J. S. (1975). Capitalismo e tradicionalismo. São Paulo: Pioneira.

Martins, J. S. (1979). O cativeiro da terra. São Paulo: Hucitec.

Martins, J. S. (1981).Os camponeses e a política no Brasil. Petrópolis: Vozes.

Mello, M. C. I. (1975). O boia-fria: acumulação e miséria. Petrópolis: Vozes.

Moura, M. M. (1978). Os herdeiros da terra: parentesco e herança numa área rural. São Paulo: Hucitec.

Moura, M. M. (1988). Os deserdados da terra. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil.

Müller, G. (1980). Estado, estrutura agrária e população. Petrópolis: Vozes.

Müller, G. (1989). Complexo agroindustrial e modernização agrária. São Paulo: Hucitec.

Nabuco, J. (1883). O abolicionismo. Rio de Janeiro: Nova Fronteira.

Navarro, Z. (2013). Agroecologia: as coisas em seu lugar (A Agronomia brasileira visita a terra dos duendes). Colóquio, 10(1), 11-45.

Navarro, Z., & Buainain, A. M. (2017). The global driving of Brazilian agrarian development in the new century. In A. M. Buainain, R. Lanna, & Z. Navarro (Eds.), Globalization and agriculture: redefining unequal development. (pp. 9-30). Lanham: Lexington Books.

Navarro, Z., & Pedroso, M. T. M. (2019). Rural Brazil: the demise of its agrarian past, 1968-2018. In A. M. Buainain, R. Lanna, & Z. Navarro (Eds.), Brazil: agricultural development in the new century (the rise of a global agro-food power) (cap. 2). Nova York: Routledge.

Oliveira, F. (1972). A economia brasileira: crítica à razão dualista. Estudos CEBRAP, (2), 5-82.

Palmeira, M. (1971). Latifundium et capitalisme: lecture critique d’un débat (Tese de doutodo). Paris: EHESS.

Prado Junior, C. (1979). A questão agrária. São Paulo: Brasiliense.

Rangel, I. (1988, Novembro 16). Fim de linha. Folha de São Paulo.

Rangel, I. (2005). Obras reunidas (2 volumes). Rio de Janeiro: Contraponto.

Rios, J. A. (1971). A sociologia rural no Brasil. Sua evolução, principais problemas e situação atual. Rio de Janeiro: SPLAN.

Sá Júnior, F. (1973). O desenvolvimento da agricultura nordestina e as funções das atividades de subsistência. Estudos CEBRAP, (3), 87-148.

Santos, J. V. (1978). Os colonos do vinho: estudo sobre a subordinação do trabalho camponês ao capital. São Paulo: Hucitec.

Santos, R. (2007). Agraristas políticos brasileiros. Brasília: Fundação Astrojildo Pereira.

Scherer-Warren, I. (1989). Movimentos sociais. Florianópolis: Editora da UFSC.

Schneider, S. (2003). A pluriatividade na agricultura familiar. Porto Alegre: UFRGS Editora.

Silva, J. G. (1981a). Progresso técnico e relações de trabalho na agricultura. São Paulo: Hucitec.

Silva, S. S. (1981b). Valor e renda da terra: o movimento do capital no campo. São Paulo: Polis.

Silva, J. G. (1982). A modernização dolorosa: estrutura agrária, fronteira agrária e trabalhadores rurais no Brasil. Rio de Janeiro: Zahar.

Silva, J. G. (1992). Fim do ‘agribusiness’ ou emergência da biotecnologia? Economia e Sociedade, 1(1), 163-167.

Silva, J. G. (1999). O novo rural brasileiro (Coleção Pesquisas, 1). Campinas: Instituto de Economia da Unicamp.

Silva, S. S. (1976). Expansão cafeeira e origens da indústria no Brasil. São Paulo: Alfa-Ômega.

Sorj, B. (1980). Estado e classes sociais na agricultura brasileira. Rio de Janeiro: Zahar.

Stédile, J. P. (1994). A questão agrária hoje. Porto Alegre: Editora da Universidade.

Szmrecsányi, T., & Queda, O. (1972). Vida rural e mudança social. São Paulo: Editora Nacional.

Wilkinson, J. (1986). Estado, agroindústria e a pequena produção. São Paulo: Hucitec.

Wilkinson, J. (2008). Mercados, redes e valores. Porto Alegre: UFGRS Editora.
 


Submetido em:
21/12/2018

Aceito em:
13/08/2019

5d8a7e7b0e8825f507c51225 resr Articles
Links & Downloads

resr

Share this page
Page Sections