Revista de Economia e Sociologia Rural
https://revistasober.org/article/doi/10.1590/1806-9479.2020.197622
Revista de Economia e Sociologia Rural
ARTIGO ORIGINAL

Impacto do Projeto Hora de Plantar sobre a sustentabilidade da produção de milho híbrido dos agricultores familiares no Cariri cearense

Impact of Planting Time Project on sustainability of hybrid maize production of family farms in Cariri Ceará

Anderson da Silva Rodrigues; Ahmad Saeed Khan; Patrícia Verônica Pinheiro Sales Lima; Eliane Pinheiro de Sousa

Downloads: 0
Views: 3

Resumo

Esta pesquisa avalia o impacto do Projeto Hora de Plantar sobre a sustentabilidade agrícola dos agricultores familiares de milho híbrido da Microrregião do Cariri mediante a construção de um Índice de Sustentabilidade da Produção (ISP), composto pelas dimensões econômica, ambiental e tecnológica. Utilizaram-se dados de origem primária, obtidos mediante 210 questionários semiestruturados, sendo 90 para produtores beneficiários e 120 para não beneficiários do programa. A comparação entre grupo tratamento (beneficiários) e controle (não beneficiários) foi realizada por meio da aplicação da técnica de Propensity Score Matching com balanceamento por entropia. Os resultados revelam que o Índice de Sustentabilidade da Produção entre os beneficiários é significativamente superior ao dos não beneficiários. Em relação aos componentes do ISP, os beneficiários apresentaram superioridade estatisticamente significativa nos índices das dimensões econômica e tecnológica, porém os dois grupos de agricultores apresentaram estimativas não estatisticamente significantes para a dimensão ambiental. Ademais, recomenda-se a ampliação dos serviços de assistência técnica e extensão rural visando estimular a adoção de práticas agrícolas sustentáveis.

Palavras-chave

sustentabilidade agrícola, avaliação de impacto, milho híbrido

Abstract

The main objective of this study was to evaluate the impact of “Projeto Hora de Plantar” (time to plant) on agricultural sustainability of family farms of hybrid maize in the Microrregion of Cariri. For this purpose, we constructed the Production Sustainability Index (ISP), incorporating economic, environmental, and technological aspects. We obtained the primary data through the application of 90 semi-structured questionnaires to the beneficiaries and 120 to non-beneficiaries of the program, totaling 210 questionnaires. We use the Propensity Score Matching technique with Entropy Balancing for the comparison between treated (beneficiaries) and control (non-beneficiaries). The results showed that the production sustainability index of beneficiaries is significantly higher than in non-beneficiaries. The economic and technological components of ISP of beneficiaries were significantly higher than those of non-beneficiaries of the project; however, the two groups of farmers presented non-statistically significant estimates for the environmental dimension. Also, it is recommended the extension of technical assistance and rural extension services to stimulate the adoption of sustainable agricultural practices.

Keywords

agricultural sustainability, impact evaluation, hybrid maize

Referências

Almeida J. Significados sociais, desafios e potencialidades da agroecologia. Para pensar outra agricultura. 1998:239-47.

Altieri M. Agroecologia: a dinâmica produtiva da agricultura sustentável. 2000.

Andrews D. W. K., Buchinsky M. Y. On the number of bootstrap repetitions for BC a confidence intervals. 2000.

Attanasio O., Battistin E., Fitzsimons E., Mesnard A., Vera-Hernandez M. How effective are conditional cash transfers? Evidence from Colombia. 2005.

Barreto R. C. S., Khan A. S., Lima P. V. P. S. Sustentabilidade dos assentamentos no município de Caucaia-CE. Revista de Economia e Sociologia Rural. 2005;43(2):225-47.

Becker S. O., Ichino A. Estimation of average treatment effects based on propensity scores. The Stata Journal. 2002;2(4):358-77.

Bertocchi M., Demartini E., Marescotti M. E. Ranking farms using quantitative indicators of sustainability: the 4Agro method. Procedia: Social and Behavioral Sciences. 2016;223:726-32.

Bursztyn M., Bursztyn M. A. A. Sustentabilidade, ação pública e meio rural no Brasil: uma contribuição ao debate. Raízes. 2010;29(1-2):10-8.

Caliendo M., Kopeinig S. Some practical guidance for the implementation of propensity score matching. 2005.

Caporal F. R., Costabeber J. A. Agroecologia e extensão rural: contribuições para a promoção do desenvolvimento rural sustentável. 2004.

Projeto Hora de Plantar XXVIII: manual operacional 2015. 2015.

Cédula de Agricultura Familiar - CODAF. 2016.

Cochran W. Sampling tecniques. 1985.

Cruz J. C., Karam D., Monteiro M. A. R., Magalhães P. C. A cultura do milho. 2008.

Cuenca M. A. G., Nazário C. C., Mandarino D. G. Aspectos agroeconômicos da cultura do milho: características e evolução da cultura no estado do Ceará entre 1990 e 2003. 2005.

Damasceno N. P., Khan A. S., Lima P. V. P. S. O impacto do Pronaf sobre a sustentabilidade da agricultura familiar, geração de emprego e renda no Estado do Ceará. Revista de Economia e Sociologia Rural. 2011;49(1):129-56.

Diamond A., Sekhon J. S. Genetic matching for estimating causal effects: a general multivariate matching method for achieving balance in observational studies. The Review of Economics and Statistics. 2013;95(3):932-45.

Diprete T., Gangl M. Assessing bias in the estimation of causal effects: Rosenbaum bounds on matching estimators and instrumental variables estimation with imperfect instruments. Sociological Methodology. 2004;34(1):271-310.

Duarte G. B., Sampaio B., Sampaio Y. Programa Bolsa Família: impacto das transferências sobre os gastos com alimentos em famílias rurais. Revista de Economia e Sociologia Rural. 2009;47(4):903-18.

Duarte S. P. S. Efeitos do programa Agroamigo sobre os pequenos produtores rurais do Cariri cearense. 2017.

Visão 2030: o futuro da agricultura brasileira. 2018.

Ferreira L. C. A questão ambiental: sustentabilidade e políticas públicas no Brasil. 1998.

Base de Dados: Calendário das Chuvas. 2015.

Gliessman S. R. Agroecologia: processos ecológicos em agricultura sustentável. 2000.

Grisa C., Schneider S. Três gerações de políticas públicas para a agricultura familiar e formas de interação entre sociedade e estado no Brasil. Revista de Economia e Sociologia Rural. 2014;52(^sSupl. 1):125-46.

Hainmueller J. Entropy balancing for causal effects: a multivariate reweighting method to produce balanced samples in observational studies. Political Analysis. 2012;20(1):25-46.

Hălbac-Cotoară-Zamfir R., Keesstra S., Kalantari Z. The impact of political, socio-economic and cultural factors on implementing environment friendly techniques for sustainable land management and climate change mitigation in Romania. The Science of the Total Environment. 2019;654:418-29.

Hayati D., Ranjbar Z., Karami E. Measuring agricultural sustainability. Biodiversity, biofuels, agroforestry and conservation agriculture. 2011:73-100.

Heckman J. J., Lalonde R., Smith J. The economics and econometrics of active labor market programs. Handbook of labor economics. 1999;3:1865-2097.

Hirano K., Imbens G., Ridder G. Efficient estimation of average treatment effects using the estimated propensity score. Econometrica. 2003;71(4):1161-89.

Hoffmann R., Engler J. J. C., Serrano O., Thame A. C. M., Neves E. M. Administração da empresa agrícola. 1978.

Imbens G. A role of the propensity score in estimating Dose-Response functions. Biometrika. 2000;87(3):706-10.

Censo agropecuário 2006: agricultura familiar: primeiros resultados: Brasil, grandes regiões e unidades da federação. 2009.

Produção agrícola municipal - 2014. 2015.

Ceará em mapas - 2010. 2010.

Khandker S. R., Koolwal G. B., Samad H. A. Handbook on impact evaluation: quantitative methods and practices. 2010.

Kullback S. Information theory and statistics. 1959.

Labrador Moreno J., Altieri M. A. Manejo y diseño de sistemas agrícolas sustentables. Hoja Divulgadora. 1994:1-52.

Lampert J. A. Administração rural. 2003.

Leff E. Ecologia, capital e cultura: a territorialização da racionalidade ambiental. 2009.

Lopes S. B. Arranjos institucionais e a sustentabilidade de sistemas agroflorestais: uma proposição metodológica. 2001.

Olde E. M., Moller H., Marchand F., McDowell R. W., MacLeod C. J., Sautier M., Halloy S., Barber A., Benge J., Bockstaller C., Bokkers E. A. M., de Boer I. J. M., Legun K. A., Le Quellec I., Merfield C., Oudshoorn F. W., Reid J., Schader C., Szymanski E., Sørensen C. A. G., Whitehead J., Manhire J. When experts disagree: the need to rethink indicator selection for assessing sustainability of agriculture. Environment, Development and Sustainability. 2017;19(4):1327-42.

Passos A. T. B. O impacto do PRONAF SUSTENTÁVEL sobre a sustentabilidade agrícola da agricultura familiar: o caso da microrregião do Vale do Médio Curu no Estado do Ceará. 2014.

Rodrigues A. M. A abordagem ambiental: questões para reflexão. GeoTextos. 2009;5(1):183-201.

Rosenbaum P. R., Rubin D. The central role of the propensity score in observational studies for causal effects. Biometrika. 1983;70(1):41-55.

Rubin D. B., Thomas N. Matching using estimated propensity scores: relating theory to practice. Biometrics. 1996;52(1):249-64.

Sambuichi R. H. R., Oliveira M. A. C., Silva A. P. M., Luedemann G. A sustentabilidade ambiental da agropecuária brasileira: impactos, políticas públicas e desafios. 2012.

Santana C. S., Folhes M. T., Mayorga R. D., Mayorga M. I. O Programa Hora de Plantar sob a ótica dos agricultores beneficiados no estado do Ceará. Desenvolvimento sustentável em busca da operacionalização. 1999;1:89-98.

Santos J. G., Cândido G. A. Sustentabilidade e agricultura familiar: um estudo de caso em uma associação de agricultores rurais. Revista de Gestão Social e Ambiental. 2013;7(1):70-83.

Silva D. M. F. Avaliação do programa do milho híbrido no Estado do Ceará: aspectos competitivos, tecnológicos e seus determinantes, geração de emprego e renda. 2005.

Silva D., Khan A. S., Lima P. V. P. S. Produção de milho híbrido no Estado do Ceará: aspectos tecnológicos, competitivos, geração de emprego e renda. Revista de Economia e Sociologia Rural. 2006;44(1):119-46.

Trevisan A. P., Van Bellen H. M. Avaliação de políticas públicas: uma revisão teórica de um campo em construção. Revista de Administração Pública. 2008;42(3):529-50.

Watson S., Elliot M. Entropy balancing: a maximum-entropy reweighting scheme to adjust for coverage error. Quality & Quantity. 2016;50(4):1781-97.

Zhang T. Q., Zheng Z. M., Lal R., Lin Z. Q., Sharpley A. N., Shober A. L., Smith D., Tan C. S., Van Cappellen P. Environmental indicator principium with case references to agricultural soil, water, and air quality and model-derived indicators. Journal of Environmental Quality. 2018;47(2):191-202.


Submetido em:
03/05/2018

Aceito em:
21/04/2019

5ef611920e8825d603e5dce5 resr Articles

resr

Share this page
Page Sections