Revista de Economia e Sociologia Rural
https://revistasober.org/article/doi/10.1590/1806-9479.2020.229459
Revista de Economia e Sociologia Rural
ARTIGO ORIGINAL

Quatro décadas contribuindo para o desenvolvimento agrário e agrícola do Brasil: a trajetória da Revista de Economia e Sociologia Rural, RESR, e o Pensamento Soberiano

Four decades contributing to Brazil's agricultural and agricultural development: the path of the Rural Economy and Sociology magazine, RESR, and the “Pensamento Soberiano”

Amílcar Baiardi; Tales Vital

Downloads: 0
Views: 65

Resumo

Resumo:: Este trabalho elabora narrativa da trajetória da Revista de Economia e Sociologia Rural (RESR) nas últimas quatro décadas e formula hipóteses sobre seus impactos. Um deles, interno, no âmbito da Sociedade Brasileira de Economia, Administração e Sociologia Rural, e outro, externo, na esfera da administração pública, dos parlamentos e das associações dos agentes econômicos e sociais atuantes no meio rural, exercidos pelo conteúdo veiculado nos seus artigos. As hipóteses são que esses artigos expressavam um conjunto de ideias, aqui definidas como “Pensamento Soberiano”, sobre políticas públicas e privadas e sobre condutas de agentes que, uma vez adotadas, contribuiriam para estimular a produção e a produtividade agrícola, o desempenho nos mercados, desenvolvimento rural sustentável e a redução das desigualdades sociais no campo. O artigo mostra também como, ao longo dos anos, o “Pensamento Soberiano” se torna mais plural e heterodoxo. O material consistiu nas edições da revista durante quatro décadas e o método foi de visita, ou breve análise, a cada exemplar para identificar autorias e escopo. Avalia-se ter sido possível captar a essência do Pensamento Soberiano, e estimar sua contribuição para a adoção de preceitos de racionalidade nas políticas agrárias e agrícolas e na performance produtiva brasileira.

Palavras-chave

RESR, pensamento teórico, história de periódico científico

Abstract

Abstract:: This paper proposes one narrative on the Brazilian Journal of Rural Economics and Sociology’s path, approaching the last four decades, and formulates hypotheses about its two impacts. One, internal, within the Brazilian Society of Economics, Administration and Rural Sociology, and other, external, into the public administration, parliaments and associations of economic and social agents working in rural areas, been both influenced by the content disseminated through the articles. The hypothesis are that these articles expressed a set of ideas, defined here as “Pensamento Soberiano”, about public and private policies and the conduct of agents that, once adopted, would help to stimulate agricultural production and productivity, market performance, sustainable rural development and countryside social inequalities reduction. The article also shows how, over the years, the “Pensamento Soberiano” becomes plural and heterodox. The material used was journal editions corresponding to four decades and the method was to visit, or briefly review, each issue to identify authorship and scope. It is admitted to have captured the essence of the “Pensamento Soberiano”, and to estimate its contribution to the adoption of rationality precepts in Brazilian agrarian and agricultural policies and productive performance.
 

Keywords

RESR, theoretical thinking, scientific journal history

Referências

Alves, E. A. (1984). Desenvolvimento econômico brasileiro: efeitos sobre a migração rural-urbana. In Conferência Latinoamericana de Economia Agrícola, Piracicaba (Vol. 3, pp. 1-53). Piracicaba: IAAE/FEALQ/ESALQ. Repositório de Informação Tecnológica da EMBRAPA. Grupo 3: Mercado de trabalho.

Araújo, P. F. C., & Schuh, G. E. (1983). Desenvolvimento da agricultura: estudos de casos. São Paulo: Livraria Pioneira Editora.

Baiardi, A. (2007). O pensamento econômico da sociedade brasileira de economia, administração e sociologia rural. In T. Szmrecsányi (Org.), Ensaios de história do pensamento econômico no Brasil contemporâneo (Vol. 1, pp. 210-225). São Paulo: Ordem dos Economistas do Brasil.

Baiardi, A. (2014). O Ensino de História das Ciências Agrárias nas Universidades. In Anais do 52º Congresso da SOBER. Brasília: SOBER.

Barros, G. S. C. (2010). Política agrícola no Brasil: subsídios e investimentos. Gasques et al (Org.), A agricultura brasileira, desempenho, desafios e perspectivas (Vol. 1, pp. 481-496). Brasília: Ipea.

Camelier, F., & Camelier, R. M. D. (2000). A Universidade Federal de Viçosa. In Anais do 1º Congresso Luso Brasileiro de História da Ciência e da Técnica. Évora: Centro de estudos de História e Filosofia da Ciência da Universidade de Évora.

Hayami, Y., & Ruttan, V. (1971). Agricultural development: an international perspective. Baltimore: Johns Hopkins University Press.

Heilbrone, R. R. (1996). A história do pensamento econômico. São Paulo: Nova Cultural.

Kuhn, T. S. (1962). Estrutura das revoluções científicas (3. ed.) São Paulo: Perspectiva.

Martins, L. A. P. (2005). História da ciência: objetos, métodos e problemas. Ciência & Educação (Bauru), 11(2), 305-317.

Navarro, Z. (2019). Meio século de interpretações sobre o rural brasileiro (1968-2018). Revista de Economia e Sociologia Rural, 57(3), 472-489.

Nelson, R. R., & Winter, S. G. (2005). Uma teoria evolucionária da mudança econômica. Campinas: Editora UNICAMP.

Paiva, R. M. (1968). O mecanismo de autocontrole no processo de expansão e de melhoria técnica da agricultura. Revista Brasileira de Economia, 2(3), 5-38.

Santana, C. A. M., Buainain, A. M., Silva, F. P., Garcia, J. R., & Layala, P. (2014). Política Agrícola, avanços e retrocessos ao longo de uma trajetória positiva. In A. M. Buainain, E. A. Alves, J. M. Silveira, & Z. Navarro. O mundo rural do Brasil no século 21, a formação de um novo padrão agrário e agrícola (pp. 797-825). Brasília: Instituto de Economia/Embrapa.

Schuh, G. E., & Alves, E. R. (1970). The agricultural development of Brazil. New York: Praeger Publishers.

Schuh, G. E., & Alves, E. R. (1971). Pesquisa sobre desenvolvimento agrícola no Brasil. Brasília: Ministério da Agricultura.

Schultz, T. W. (1953). The economic organization of agriculture. New York: McGraw Hill Book Company.

Silveira, J. M. F. J. (2016). Prefácio. In J. E. R. Vieira Filho & J. G. Gasques. Agricultura, transformação produtiva e sustentabilidade (pp. 11-14). Brasília: Abag/IPEA.

Sociedade Brasileira de Economia e Sociologia Rural – SOBER. (1984). Quem é quem na SOBER. Brasília: SOBER.

Sociedade Brasileira de Economia e Sociologia Rural – SOBER. (1999). Quem é quem: diretório da Sociedade Brasileira de Economia e Sociologia Rural. Brasília: SOBER.

Sociedade Brasileira de Economia e Sociologia Rural – SOBER. (2019). Anais das reuniões/congressos: 1959 a 2019. Brasília: SOBER. Recuperado em 10 de setembro de 2019, de http://www.sober.org.br/

Springer, R. (1998). Porque estudar controvérsias cientificas. Episteme, 3(6), 8-221.

Teixeira, E. C., Miranda, M. H., & Freitas, C. O. (2014). Políticas governamentais aplicadas ao agronegócio. Viçosa: Editora UFV.

Vieira, W. C. (Ed.). (1999). Revista de Economia e Sociologia rural, 1979-1998. Brasilia: SOBER. Edição comemorativa dos 40 anos, compactada em CD-ROM.
 


Submetido em:
01/10/2019

Aceito em:
29/12/2019

5ea6dfc80e88259e21f1743e resr Articles

resr

Share this page
Page Sections