Revista de Economia e Sociologia Rural
https://revistasober.org/article/doi/10.1590/1806-9479.2021.220071
Revista de Economia e Sociologia Rural
ARTIGO ORIGINAL

Construção social de mercados orgânicos: o caso das Células de Consumidores Responsáveis em Florianópolis-SC

Organic markets social construction: the case of Responsible Consumer Cells in Florianópolis-SC

Dayana Lilian Rosa Miranda; Isadora Leite Escosteguy; Oscar José Rover; Carlos Alberto Cioce Sampaio

Downloads: 0
Views: 26

Resumo

Movimentos contemporâneos contrários às formas industriais de produção, abastecimento e consumo agroalimentar defendem processos alternativos que reconectem produtores e consumidores, resgatando valores culturais e sociais, relocalizando a agricultura nos territórios e valorizando a dimensão ambiental. Nesse contexto, destaca-se o aumento da demanda por alimentos orgânicos e mudanças nos padrões de produção e consumo, baseadas em valores de qualidade e confiança. Nessa perspectiva, este estudo objetiva analisar a experiência do Laboratório de Comercialização da Agricultura Familiar (LACAF-UFSC), com foco no projeto de extensão Células de Consumidores Responsáveis (CCR), em um esforço de compreensão da sua contribuição para a construção social de mercados de orgânicos/agroecológicos em Florianópolis-SC, Brasil. Teoricamente, o estudo define as Redes Agroalimentares Alternativas (RAA) e articula esta noção com a de Redes de Cidadania Agroalimentar (RCA). Metodologicamente, é desenvolvida uma observação participante junto à experiência do projeto supracitado, bem como a análise de dados primários e de outros documentos. Conclui-se que as CCR constituem um modelo eficaz de tecnologia social que ajuda a articular novas relações entre produção e consumo de alimentos, e se integram na lógica das RCA, representando uma forma de resistência nos mercados agroalimentares, capaz de contribuir para redesenhar cadeias de abastecimento alimentar nas grandes cidades.

Palavras-chave

redes agroalimentares alternativas, redes de cidadania agroalimentar, produtos orgânicos, agroecologia, agricultura familiar

Abstract

Contemporary movements against industrial production forms, supply, and agrifood consumption defend alternative processes that reconnect producers and consumers, rescuing cultural and social values, relocating agriculture in the territories and valuing the environmental dimension. In this context, it is important to highlight the demand increases for organic food and changes in production and consumption patterns, based on quality and trust values. Related to this perspective, this study aims to analyze the Family Farming Commercialization Laboratory (FFCL-UFSC) experience, focusing on the extension project Responsible Consumption Cells (RCC), in an effort to comprehend its contribution to the market social construction of organics/agro-ecological in Florianópolis – SC, Brazil. Theoretically, the study defines Alternative Food Networks (AFN) and bonds its notion with Civic Food Networks (CFN). Methodologically, participant observation is developed, as well as the primary data analysis and other documents. It was possible to conclude that the CCR is an effective model of social technology that helps articulate new production and consumption arrangements, integrating itself in the CFN logic, representing a resistance form in agrifood markets able to contribute to the food supply chains redesign in big cities.

Keywords

alternative food networks, civic food networks, organic products, agroecology, family farming

Referências

Anjos F. S., Caldas N. V. Uma resposta sólida a um regime agroalimentar em crise: o fenômeno GÁS na Itália. Revista Brasileira de Ciências Sociais. 2018;32(95):1-18.

Bauman Z. Vida para consumo: a transformação das pessoas em mercadoria.. 2008.

Buainain A. M. Agricultura familiar, agroecologia e desenvolvimento sustentável: questões para debate.. 2006.

Bucak T., Demir D. The place and importance of Earth Markets within scope of Eco-gastronomy: the example of Earth Market. International Journal of Applied Science and Technology. 2014;4(2):243-51.

Cassarino J. P., Damasceno A. F. Agroecologia, construção social de marcados e a constituição de sistemas agroalimentares alternativos: uma leitura a partir da Rede Ecovida de Agroecologia.. Agroecologia: práticas, mercados e políticas para uma nova agricultura.. 2013.

Dagnino R. A tecnologia social e seus desafios.. Tecnologia Social: contribuições conceituais e metodológicas.. 2014.

Darolt M. R., Lamine C., Brandenburg A., Alencar M. D. C. F., Abreu L. S. Redes alimentares alternativas e novas relações produção-consumo na França e no Brasil. Ambiente & Sociedade. 2016;19(2):1-22.

Delgado G. C. Capital financeiro e agricultura no Brasil: 1965-1985.. 1985.

Facebook. 2019.

Gómez C. R. P., Castillo L. A. G., Correia S. N., Oliveira V. M. Turismo de Base Comunitária como Inovação Social: congruência entre os constructos. PASOS: Revista de Turismo y Patrimonio Cultural. 2015;13(5):1213-27.

Goodman D. The quality ‘turn’ and alternative food practices: reflections and agenda. Journal of Rural Studies. 2003;19(1):1-7.

Goodman D. Espaço e lugar nas redes alimentares alternativas: conectando produção e consumo.. Cadeias curtas e redes agroelimentares alternativas: negócios e mercados da agricultura familiar.. 2017.

Goodman M. K., Sage C. Food transgressions: making sense of contemporary food politics. 2014.

Grade M., Mergen C. Boletin de preços dos alimentos orgânicos no varejo de Florianópolis – SC.. 2018.

Granovetter M. S. Economic action and social structure: the problem of embeddedness. American Journal of Sociology. 1985;91(3):481-510.

Holanda A. B. Míni dicionário Aurélio da Língua Portuguesa. 2010.

Kneafsey M., Venn L., Schmutz U., Balázs B., Trenchard L., Eyden-Wood T., Bos E., Sutton G., Blackett M. Short food supply chains and local food systems in the EU: a state of play of their socio-economic characteristics. Joint Research Centre Scientific and Policy Reports.. 2013.

Lamine C., Darolt M., Brandenburg A. The civic and social dimensions of food production and distribuction in alternative food networks in frace and southern Brazil. International Journal of Sociology of Agriculture and Food. 2012;19(3):383-401.

Marques R., Marques J., Peixoto R. Os trilhos da nova sociologia econômica.. 2003.

Marsden T., Banks J., Bristow G. Food supply chain approaches: exploring their role in rural development. Sociologia Ruralis. 2000;40(4):424-38.

Max-Neef M. Desenvolvimento à escala humana.. 2012.

Petrini C. Slow food: princípios da nova gastronomia. 2009.

Ploeg J. D. O modo de produção camponês revisitado.. A diversidade da agricultura familiar.. 2006.

Polanyi K. A grande transformação. 2000.

Renting H., Marsden T., Banks J. Understanding alternative food networks: exploring the role of short food supply chain in rural development. Environment & Planning. 2003;35(3):393-411.

Renting H., Schermer M., Rossi A. Building food democracy: exploring Civic Food Networks and newly emerging forms of food citizenship. International Journal of Sociology of Agriculture and Food. 2012;19(3):289-307.

RIC Mais. 2019.

Santos B. S. Produzir para viver: os caminhos para a produção não capitalista. 2003.

Santos B. S. Semear outras soluções: os caminhos da biodiversidade e dos conhecimentos rivais.. 2005.

Schneider S. Situando o desenvolvimento rural no Brasil: o contexto e as questões em debate. Revista de Economia Política. 2010;30(3):511-31.

Schneider S., Gazolla M. Os atores do desenvolvimento rural: perspectivas teóricas e práticas sociais.. 2011.

Schneider S., Marques F. C., Conterato M., Marques F. C., Conterato M., Schneider S. Construção de mercados e agricultura familiar: desafios para o desenvolvimento rural.. 2016.

Silva J. G. Tecnologia e agricultura familiar. 2003.

Steiner P. A sociologia econômica. 2006.

Tregear A. Progressing knowledge in alternative and local food networks: critical reflections and a research agenda. Journal of Rural Studies. 2011;27(4):419-30.

YouTube. 2019.


Submetido em:
18/02/2019

Aceito em:
15/04/2020

5f99873f0e88254272ea06e9 resr Articles

resr

Share this page
Page Sections