Revista de Economia e Sociologia Rural
https://revistasober.org/article/doi/10.1590/1806-9479.2021.234912
Revista de Economia e Sociologia Rural
Artigo Original

Caracterização das unidades de produção agrícola que usam agrotóxicos em Vacaria (RS)

Characterization of the agricultural production units using pesticides in Vacaria (RS)

Nilva Lúcia Rech Stedile; Neice Muller Xavier Faria; Suzete Marchetto Claus; Danusa Santos Brandão

Downloads: 0
Views: 65

Resumo

Resumo: As características das unidades produtivas (UP) e o uso de agrotóxicos são importantes para avaliar riscos à saúde humana e ambiental. Este estudo buscou descrever os aspectos das UP relacionados ao uso dos agrotóxicos e identificar possíveis práticas de risco para os trabalhadores. Estudo descritivo, a partir de entrevistas realizadas em 426 UP. Foi avaliada área (em módulos fiscais), mata nativa, produção vegetal e animal, nível de mecanização, uso e manejo de agrotóxicos e orientações técnicas. A análise incluiu medida de tendência central e de dispersão e análise de proporções. Associações foram examinadas com teste qui-quadrado de Pearson e de tendência linear. Não houve diferença na proporção de mata nativa conforme área. As UP maiores apresentavam maior nível de mecanização. O uso de agrotóxicos foi relatado por 96,5% das UP. As maiores UP usavam práticas mais adequadas no armazenamento, no destino das embalagens e tinham mais orientações de técnicos. Independentemente do tamanho da UP foram verificados problemas de gerenciamento dos riscos, em especial nas embalagens de produtos veterinários. Existem diferenças importantes no manejo de agrotóxicos entre as diversas UP, mas em geral os trabalhadores agrícolas estão em situação de vulnerabilidade socioambiental devido à exposição química intensa.

Palavras-chave

agrotóxicos, uso de praguicidas, agricultura, saúde ocupacional, saúde ambiental

Abstract

Abstract: The characteristics of the Production Units (PU) in rural areas and the use of pesticides are important to assess risks to human and environmental health. This study aimed to describe the factors of PUs related to the use of pesticides and identify possible risk practices for workers. Descriptive study based on interviews carried out in 426 PU. The area (in fiscal modules), native forest, plant and animal production, level of mechanization, use, and handling of pesticides, and technical guidance were evaluated. The analysis included measures of central tendency and dispersion and proportions’ analysis. Associations were examined using Pearson's Chi-square and Linear Trend. There was no difference in the proportion of native forest according to the area. Larger PUs had a higher level of mechanization. The use of pesticides was reported by 96.5% of the PU. The largest PU used more adequate practices in storage, in the destination of the packages, and had more technical guidance. Regardless of the size of the PU, there were problems with risk management, especially in the packaging of veterinary products. There are important differences in the management of pesticides between the different PUs, but in general agricultural workers are under socio-environmental vulnerability due to intense chemical exposure.

Keywords

agrochemicals, pesticides use, agriculture, occupational health, environmental health

Referências

Araujo, I. M. M., & Oliveira, A. G. R. C. (2017). Agronegócio e agrotóxicos: impactos à saúde dos trabalhadores agrícolas no nordeste brasileiro. Revista Trabalho, Educação e Saúde, 15(1), 117-129. Recuperado em 19 de maio de 2019, de: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1981-77462017000100117&lng=en&nrm=iso.

Bombardi, L. M. (2017). Geografia do uso de agrotóxicos no Brasil e conexões com a União Europeia. São Paulo: FFLCH-USP.

Bonita, R., Beaglehole, R., & Kjellström, T. (2010). Epidemiologia Básica (2. ed, 213 p). Recuperado em 22 de julho de 2021, de: http://apps.who.int/iris/bitstream/handle/10665/43541/9788572888394_por.pdf;jsessionid=9DEA2197F11F55C74440832E2B58F83B?sequence=5

Bortoluzzi, E. C., Rheinheimer, D. B., Gonçalves, C. S., Pellegrini, J. B. R., Zanella, R., & Copetti, A. C. C. (2006). Contaminação de águas superficiais por agrotóxicos em função do uso do solo numa microbacia hidrográfica de Agudo (RS). Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, 10(4), 881-887. Recuperado em 09 de março de 2020, de: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-43662006000400015&lng=pt&nrm=iso.

Brasil. (1989). Lei nº 7802, de 11 de julho de 1989. Dispõe sobre a pesquisa, a experimentação, a produção, a embalagem e rotulagem, o transporte, o armazenamento, a comercialização, a propaganda comercial, a utilização, a importação, a exportação, o destino final dos resíduos e embalagens, o registro, a classificação, o controle, a inspeção e a fiscalização de agrotóxicos, seus componentes e afins, e dá outras providências. Recuperdado em 08 de setembro de 2017, de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l7802.htm

Brasil. (1993). Lei Federal nº 8.629, de 25 de fevereiro de 1993. Dispõe sobre a regulamentação dos dispositivos constitucionais relativos à reforma agrária, previstos no Capítulo III, Título VII, da Constituição Federal. Recuperado em 02 de fevereiro de 2020, de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/L8629.htm.

Brasil. (2002). Decreto nº 4074, de 04 de janeiro de 2002. Regulamenta a Lei 7802 de 11 de julho de 1989. Regulamenta a Lei no 7.802, de 11 de julho de 1989, que dispõe sobre a pesquisa, a experimentação, a produção, a embalagem e rotulagem, o transporte, o armazenamento, a comercialização, a propaganda comercial, a utilização, a importação, a exportação, o destino final dos resíduos e embalagens, o registro, a classificação, o controle, a inspeção e a fiscalização de agrotóxicos, seus componentes e afins, e dá outras providências . Recuperado em 05 de setembro de 2018, de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/2002/d4074.

Brasil. Ministério da Saúde. (2006). Secretaria de Atenção à Saúde. Protocolo de Atenção à Saúde dos Trabalhadores Expostos a Agrotóxicos. Recuperado em 11 de março de 2020, de https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/protocolo_atencao_saude_trab_exp_agrotoxicos.pdf

Brasil. Ministério da Saúde. (2013). Documento Orientador para a Implementação da Vigilância em Saúde de Populações Expostas a Agrotóxicos. Recuperado em 11 de março de 2020, de https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/relatorio_nacional_vigilancia_populacoes_expostas_agrotoxicos.pdf

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. (2018). Relatório Nacional de Vigilância em Saúde de Populações Expostas a Agrotóxicos. Recuperado em 20 de setembro de 2018, de http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/relatorio_nacional_vigilancia_populacoes_expostas_agrotoxicos.pdf.

Brasil. Ministério do Trabalho. (1978). Norma Regulamentadora No. 15 (NR-15). Atividades e Operações Insalubres. Recuperado em 20 de setembro de 2018, de https://www.gov.br/trabalho-e-previdencia/pt-br/composicao/orgaos-especificos/secretaria-de-trabalho/inspecao/seguranca-e-saude-no-trabalho/ctpp-nrs/norma-regulamentadora-no-15-nr-15

Carneiro, F. F., Rigotto, R. M., Augusto, L. G. S., Friedrich, K., & Búrigo, A. C. (2015). DOSSIÊ ABRASCO: um alerta sobre os impactos dos agrotóxicos na saúde. Recuperado em 13 de fevereiro de 2019, de: http://www.abrasco.org.br/dossieagrotoxicos/wpcontent/uploads/2013/10/DossieAbrasco_2015_web.pdf.

Castro, N. R., Barros, G. S. C., Almeida, A. N., Gilio, L., & Morais, A. C. P. (2020). The Brazilian agribusiness labor market: measurement, characterization and analysis of income differentials. Revista de Economia e Sociologia Rural, 58(1), e192298. http://dx.doi.org/10.1590/1806-9479.2020.192298

DATASUS. (2021) Recuperado em 19 de maio de 2019, de: http://www.datasus.gov.br.

Dhananjayan, V., & Ravichandran, B. (2018). Occupational health risk of farmers exposed to pesticides in agricultural activities. Current Opinion In Environmental Science & Health, 4, 31-37. http://dx.doi.org/10.1016/j.coesh.2018.07.005

Embrapa. (2021). Consulte o módulo fiscal de seu município. Recuperado em 20 de fevereiro de 2020, de https://www.embrapa.br/codigo-florestal/area-de-reserva-legal-arl.

Embrapa. (2004). Manual de segurança e qualidade para a cultura da maçã. Recuperado em 20 de fevereiro de 2020, de https://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/item/18220/1/MANUALSEGURANCAQUALIDADEParaaculturadamaca.pdf.

Faria, N. M. X, Rosa, J. A. R., & Facchini, L. A. (2009). Intoxicações por agrotóxicos entre trabalhadores rurais de fruticultura, Bento Gonçalves (RS). Revista de Saúde Pública, 43(2), 335-344. https://doi.org/10.1590/S0034-89102009005000014.

Faria, N. M. X., Facchini, L. A., & Fassa, A. G., Tomasi, E. (2000). Processo de produção rural e saúde na serra gaúcha: um estudo descritivo. Cadernos de Saúde Pública, 16(1), 115-128. https://doi.org/10.1590/S0102-311X2000000100012.

Faria, N. M. X., Fassa, A. G., & Facchini, L. A. (2007). Intoxicação por agrotóxicos no Brasil: os sistemas oficiais de informação e desafios para realização de estudos epidemiológicos. Revista Ciência & Saúde Coletiva, 12(1), 25-38. https://doi.org/10.1590/S1413-81232007000100008 .

Faria, N. M., Fass, A. G., Meucci, R. D., & Fiori, N. S. (2014). Occupational exposure to pesticides, nicotine and minor psychiatric disorders among tobacco farmers in southern Brazil. NeuroToxicology, 45, 347-354. Recuperado em 09 de abril de 2020, de https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0161813X14000837

Fioravanço, J. C., & Santos, R. S. S. (2013). Maçã - o produtor pergunta, a Embrapa responde. Recuperado em 20 de fevereiro de 2020, de https://www.infoteca.cnptia.embrapa.br/infoteca/bitstream/doc/964485/1/500perguntasmaca.pdf.

Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária – INCRA. (2021). Recuperado em 12 de fevereiro de 2019, de https://www.gov.br/incra/pt-br

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE. (2017). Censo Agropecuário, 2017, resultados preliminares. Recuperado em 12 de fevereiro de 2019, de https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/periodicos/3093/agro_2017_resultados_preliminares.pdf.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE. (2021). IBGE Cidades - Vacaria (RS). Recuperado em 02 de fevereiro de 2020, de https://cidades.ibge.gov.br/brasil/rs/vacaria/panorama.

Jardim, I. C. S. F., Andrade, J. A., & Queiroz, S. C. N. (2009). Resíduos de agrotóxicos em alimentos: uma preocupação ambiental global - um enfoque às maçãs. Química Nova, 32(4), 996-1012. Recuperado em 20 de março de 2020, de https://www.scielo.br/j/qn/a/j5MZFXpYTWKhQ3GjjgKpW6h/?lang=pt

Kim, K., Kabir, E. & Jahan, S. A. (2017). Exposure to pesticides and the associated human health effects. Science Of The Total Environment, 575, 525-535. http://dx.doi.org/10.1016/j.scitotenv

Londres, F. (2011). Agrotóxicos no Brasil: um guia para ação em defesa da vida. Recuperado em 10 de setembro de 2020, de https://br.boell.org/sites/default/files/agrotoxicos-no-brasil-mobile.pdf.

Lopes, C. V. A. & Albuquerque, G. S. C. (2018). Agrotóxicos e seus impactos na saúde humana e ambiental: uma revisão sistemática. Saúde em Debate, 42(117), 518-534. https://doi.org/10.1590/0103-1104201811714.

Paraná. Secretaria de Estado da Saúde do Paraná. (2013). Protocolo de avaliação das intoxicações crônicas por agrotóxicos. Recuperado em 20 de setembro de 2018, de http://renastonline.ensp.fiocruz.br/recursos/protocolo-avaliacao-intoxicacoes-cronicas-agrotoxicos.

Pereira, G. E., Rauber, L. R., Sequinatto, L., & Guazelli, F. V. (2021). Propriedades físicas de solos sob diferentes sistemas de cultivo de soja em Vacaria, Rio Grande do Sul. Brazilian Journal of Development, 7(6):55838-50. Recuperado em 21 de julho de 2021, de: https://www.brazilianjournals.com/index.php/BRJD/article/view/30920.

Preza, D. L. C. & Augusto, L. G. S. (2012). Vulnerabilidades de trabalhadores rurais frente ao uso de agrotóxicos na produção de hortaliças em região do Nordeste do Brasil. Revista Brasileira de Saúde Ocupacional, 37(125), 89-98. http://dx.doi.org/10.1590/S0303-76572012000100012.

Rocha Júnior, A. B., Freitas, J. A., Cassuce, F. C. C. & Costa, S. M. A. L. (2019). Análise dos determinantes da utilização de assistência técnica por agricultores familiares do Brasil em 2014. Revista de Economia e Sociologia Rural, 57(2), 181-197. https://doi.org/10.1590/1806-9479.2019.184459.

Rocha, L. P., Cezar-Vaz, M. R., Almeida, M. C., Borges, A. M., Silva, M. S., & Sena-Castanheira, J. (2015). Workloads and occupational accidents in a rural environment. Texto & Contexto - Enfermagem, 24(2), 325-335. https://doi.org/10.1590/0104-07072015000480014.

Sabarwal, A., Kumar, K. & Singh, R. P. (2018). Hazardous effects of chemical pesticides on human health–Cancer and other associated disorders. Environmental Toxicology And Pharmacology, 63, 103-114. http://dx.doi.org/10.1016/j.etap.2018.08.018.

Sampaio, R. M., & Fredo, C. E. (2021). Características socioeconômicas e tecnologias na agricultura: um estudo da produção paulista de amendoim a partir do Levantamento das Unidades de Produção Agropecuária (LUPA) 2016/17. Revista de Economia e Sociologia Rural, 59(4), e236538. http://dx.doi.org/10.1590/1806-9479.2021.236538.

Santos, G., & Vieira Filho, J. E. (2012). Heterogeneidade produtiva na agricultura brasileira: elementos estruturais e dinâmicos da trajetória produtiva recente. Brasília, DF: Ipea. Recuperado em 26 de novembro de 2021, de http://repositorio.ipea.gov.br/handle/11058/1138.

Santos, A. C. M., Soares, I. P., Moreira, J. C., Farias, M. B. M., Dias, R. B. F., & Farias, K. F. (2017). Profile of clinical information in medical records of tobacco farmers in Alagoas, Brazil. Revista Brasileira de Medicina do Trabalho, 15(4), 310-316. http://dx.doi.org/10.5327/z1679443520170045.

Silva, T. P. P., Moreira, J. C., & Peres, F. (2012). Serão os carrapaticidas agrotóxicos? Implicações na saúde e na percepção de riscos de trabalhadores da pecuária leiteira. Revista Ciência & Saúde Coletiva, 17(2), 311-325. https://doi.org/10.1590/S1413-81232012000200006.

Soares, W. L. & Porto, M. F. (2007). Atividade agrícola e externalidade ambiental: uma análise a partir do uso de agrotóxicos no cerrado brasileiro. Revista Ciência & Saúde Coletiva, 12(1), 131-143. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232007000100016 .

Souza, P. M., Fornazier, A., Souza, H. M., & Ponciano, N. J. (2019). Diferenças regionais de tecnologia na agricultura familiar no Brasil. Revista de Economia e Sociologia Rural, 57(4), http://dx.doi.org/10.1590/1806-9479.2019.169354

Spadotto, C.A., Gomes, M. A. F., Luchini, L. C., Andréa, M. M. (2004). Monitoramento do Risco Ambiental de Agrotóxicos: princípios e recomendações. Recuperado em 20 de fevereiro de 2020, de https://www.embrapa.br/busca-de-publicacoes/-/publicacao/14523/monitoramento-do-risco-ambiental-de-agrotoxicos-principios-e-recomendacoes
 


Submetido em:
11/03/2020

Aceito em:
13/09/2021

61bb7ba2a9539579fa1ff069 resr Articles
Links & Downloads

resr

Share this page
Page Sections