Revista de Economia e Sociologia Rural
https://revistasober.org/article/doi/10.1590/1806-9479.2021.245926
Revista de Economia e Sociologia Rural
Artigo Original

Comprando qualidade: costume, gosto e reciprocidade nas feiras livres do Vale do Jequitinhonha

Buying quality: customs, tastes, and reciprocity at the Jequitinhonha Valley open fairs.

Maria Sirlene da Cruz; Eduardo Magalhães Ribeiro; Miguel Angelo Perondi; Alexandro Moura Araujo; Marcos Antonio Pereira da Fonseca Maltez

Downloads: 1
Views: 144

Resumo

Resumo: Este artigo analisa cinco feiras livres que abastecem uma parte substancial da população urbana do Alto Jequitinhonha na contramão do sistema agroalimentar dominante. Usando dados de fontes primárias e secundárias, são analisadas as relações estabelecidas entre consumidores e vendedores – os quais, em sua maioria, são agricultores – para interpretar as dimensões culturais e econômicas do abastecimento das pequenas cidades. O resultado da pesquisa indica que as feiras se relacionam com a identidade cultural alimentar, o abastecimento de grande parte da população urbana e movimenta parte expressiva da economia local dos municípios.

Palavras-chave

agricultura familiar, abastecimento urbano, segurança alimentar, feiras livres, Vale do Jequitinhonha

Abstract

Abstract: This article analyzes five open fairs that supply a substantial part of the urban population of Alto Jequitinhonha in opposition to the dominant agri-food system. Based on primary and secondary data, the relationships between consumers and sellers are analyzed - mostly family farms – to interpret the cultural and economic dimensions of supply in small towns. The results of this research indicate that the fairs are related to food cultural identity, to the supply of the urban population, and move an expressive part of the local economy of the municipalities.
 

Keywords

family farm, urban supply, food security, open fair, Jequitinhonha Valley

Referências

Ângulo, J. L. G. (2002). Mercado local, produção e desenvolvimento: estudo de caso da feira de Turmalina, Vale do Jequitinhonha, MG (Dissertação de mestrado). Universidade Federal de Lavras, Lavras.

Belletti, G., & Marescotti, A. (2020). Short food supply chains for promoting local food on local markets. United Nations Industrial Development Organization.

Boucher, F. (2012). De la AIR a los SIAL: reflexiones, retos y desafios en América Latina. In F. Boucher, A. E. Ortega & M. R. P. Leglise (Eds.), Sistemas agroalimentarios localizados en América Latina. Ciudad Del Mexico: Porrua.

Brunori, G. (2007). Local food and alternative food networks: a communication perspective. Anthropology of Foods, 2.

Caldas, A. L. T. (2018). O Vale do Jequitinhonha em números: análise quantitativa da MRH de Capelinha a partir de quatro bancos de dados (Trabalho de conclusão de curso). ICA/UFMG.

Carmo, M. S. (1996). (Re)estruturação do sistema agroalimentar do Brasil. São Paulo: Instituto de Economia Agrícola. 255 p.

Carneiro, H. (2003). Comida e sociedade: uma história de alimentação (4. ed., 185 p.). Rio de Janeiro: Campus.

Cassol, A., & Schneider, S. (2015). Produção e consumo de alimentos: novas redes e atores. Lua Nova, 2015(95), 143-180.

Castro, J. (1946). Geografia da fome. Rio de Janeiro: O Cruzeiro.

Chonchol, J. (2005). A soberania alimentar. Estudos Avançados, 19(55), 33-48.

Coêlho, J. D. (2008). Feiras livres de Cascavel e Ocara: caracterização, análise da renda e das formas de governança dos feirantes (Dissertação de mestrado). Centro de Ciências Agrárias, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza.

Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe – CEPAL. (2014). Fomento de circuitos cortos como alternativa para la promoción de la agricultura familiar (Boletín CEPAL-FAO-IICA, pp. 1-14).

Cruz, F. T., & Schneider, S. (2010). Qualidade dos alimentos, escalas de produção e valorização de produtos tradicionais. Revista Brasileira de Agroecologia, 5(2), 22-38.

Delgado, G. C. (1985). Capital financeiro na agricultura no Brasil: 1965-1985 (240 p.). São Paulo: Ícone; Campinas: UNICAMP.

Dutra, R. C. A. (2007). Família e redes sociais: um estudo sobre práticas alimentares no meio urbano (Tese de doutorado). UFRJ, Rio de Janeiro.

Fonte, M. (2008). Knowledge, food and place: a way of producing, a way of knowing. Sociologia Ruralis, 48(3), 200-222.

Freyre, G. (2007). Açúcar: uma sociologia do doce, com receitas de bolos e doces do Nordeste do Brasil (280 p.). São Paulo: Global.

Fundação João Pinheiro – FJP. (2017a). IMRS: Índice Mineiro de Responsabilidade Social. Pesquisa por municípios do Alto Jequitinhonha - MG. Recuperado em 18 de maio de 2020, de http://imrs.fjp.mg.gov.br

Fundação João Pinheiro – FJP. (2017b). Plano de desenvolvimento do Vale Jequitinhonha. Recuperado em 12 de março de 2020, de http://www.bibliotecadigital.mg.gov.br

Galizoni, F. M., Silva, E. P. F, Moreira, T. M. B., Caldas, A. L. T., Maltez, M. A. P. F. (2019). Mantimento, alimento, sustento. In E. M. Ribeiro (Ed.), Do engenho à mesa (pp. 69-80). Belo Horizonte: Editora UFMG.

Garcia, M. F. (1983). Negócio e campesinato: uma estratégia de reprodução social. Boletim do Museu Nacional, (45), 1-9.

Garcia, M. F. (1992). O segundo sexo do comércio: camponesas e negócio no Nordeste do Brasil. Revista Brasileira de Ciências Sociais, 7(19), 1-15.

Gazolla, M., & Schneider, S. (2017). Cadeias curtas e redes agroalimentares alternativas. In S. Schneider & M. Gazolla (Eds.), Cadeias curtas e redes agroalimentares alternativas (pp. 9-27). Porto Alegre: Ed. UFRGS.

Goodman, D. (2002). Rethinking food production-consumption: integrative perspectives. Sociologia Ruralis, 42(4), 271-277.

Graziano, E., & Graziano Neto, F. (1983). As condições da reprodução camponesa no Vale do Jequitinhonha. Perspectivas, 6, 85-100.

Grisa, C., & Schneider, S. (2014). Três gerações de políticas públicas para a agricultura familiar e formas de interação entre sociedade e estado no Brasil. Revista de Economia e Sociologia Rural, 52(Supl. 1), 125-146.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE. (2010). Censo demográfico [cidades] 2010. Recuperado em 15 de março de 2020, de https://www.ibge.gov.br

Kageyama, A. (1990). O novo padrão agrícola brasileiro: do complexo rural aos complexos agroindustriais. In G. C. Delgado & C. M. Villa Verde (Eds.), Agricultura e políticas públicas (Série Ipea, pp. 113-223). Brasília: IPEA.

Malinowsky, B., & De la Fuente, J. (1957). La economia de un sistema de mercados en México. Acta Anthropologica, 1(2), 1-187.

Maluf, R. S. (2004). Mercados agroalimentares e agricultura familiar no Brasil. Ensaios FEE, 25(1), 299-322.

Maluf, R. S., & Zimmermann, S. A. (2020). Antigos e novos hábitos na alimentação de famílias agrícolas de Chapecó e região. Estudos Sociedade e Agricultura, 28(1), 48-77. http://dx.doi.org/10.36920/esa-v28n1-3

Martine, G. (1994). Estado, economia e mobilidade geográfica: retrospectiva e perspectivas para o fim do século. Revista Brasileira de Estudos de População, 11(1), 41-60.

McMichael, P. (2005). Global development and the corporate food regime. In F. Buttel & P. McMichael (Eds.), New directions in the sociology of global development (pp. 265-299). Amsterdam: Elsevier.

McMichael, P. (2009). A food regime genealogy. The Journal of Peasant Studies, 36(1), 139-169.

Mintz, S. W. (2001). Comida e antropologia: uma breve revisão. Revista Brasileira de Ciências Sociais, 16(47).

Niederle, P. A. (2013). Construção social de mercados e novos regimes de responsabilização no sistema agroalimentar. Agriculturas, 10(2), 4-7.

Noronha, A. G. B. (2003). O tempo de ser, fazer e viver: modo de vida das populações rurais do alto Jequitinhonha, MG (Dissertação de mestrado). UFLA, Lavras.

Palmeira, M. (2014). Feira e mudança econômica. Vibrant: Virtual Brazilian Anthropology, 11(1), 324-360.

Pecqueur, B. (2009). A guinada territorial da economia global. Política e Sociedade: Revista de Sociologia Política, 8(14), 79-105.

Ploeg, J. D. (2016). Mercados aninhados recém-criados: uma introdução teórica. In F. M. Marques, M. Conterato & S. Schneider (Eds.), Construção de mercados e agricultura familiar: desafios para o desenvolvimento rural. Porto Alegre: Editora UFRGS.

Renting, H., Marsden, T., & Banks, J. (2003). Understanding alternative food networks: exploring the role of short food supply chains in rural development. Environment & Planning, 35, 393-411.

Ribeiro, E. M. (Ed.). (2007). Feiras do Jequitinhonha (244 p.). Fortaleza: BNB/ETENE.

Ribeiro, E. M. (Ed.). (2019). Do engenho à mesa:cultura material e indústria rural na agricultura familiar do Jequitinhonha mineiro (324 p.). Belo Horizonte: Editora UFMG.

Ribeiro, E. M., Castro, B. S., & Ribeiro, J. A. (2004). A feira livre de Minas Novas: abastecimento urbano, consumo e renda para a agricultura familiar (Relatório técnico de pesquisa). Lavras. Manuscrito.

Rocha, V. A. (2019). Rapadura. In E. M. Ribeiro (Ed.), Do engenho à mesa (pp. 135-145). Belo Horizonte, Editora UFMG.

Sabourin, E. (2011). Teoria da reciprocidade e sócio-antropologia do desenvolvimento. Sociologias, 13(27), 24-51.

Schmitt, C. J. (2011). Encurtando o caminho entre a produção e o consumo de alimentos. Agriculturas, 8(3), 4-8.

Schneider, S. (2016). Mercados e agricultura familiar. In F. M. Marques, M. Conterato & S. Schneider (Eds.), Construção de mercados e agricultura familiar: desafios para o desenvolvimento rural (Série Estudos Rurais). Porto Alegre: Editora UFRGS.

Servilha, M. M. (2008). As relações de trocas materiais e simbólicas no mercado municipal de Araçuaí-MG (Dissertação de mestrado). UFV, Viçosa.

Sonnino, R., & Marsden, T. (2006). Beyond the divide: rethinking relationships between alternative and conventional food networks in Europe. Journal of Economic Geography, 6(2), 181-199.

Szmrecsányi, T., & Ramos, P. (2002). O papel das políticas governamentais na modernização da agricultura brasileira. In T. Szmrecsányi & W. Suzigan (Eds.), História econômica do Brasil contemporâneo (2. ed., pp. 227-249). São Paulo: Hucitec; ABPHE; Edusp; Imprensa Oficial do Estado.

Viana, C. E., Triches, R. M., & Cruz, F. T. (2019). Que qualidades para quais mercados? O caso do queijo colonial da microrregião de Capanema, Paraná. NERA, 22(49).

Wilkinson, J. (2008). Mercados, redes e valores: o novo mundo da agricultura familiar (216 p.). Porto Alegre: Ed. UFRGS.
 


Submetido em:
25/11/2020

Aceito em:
25/07/2021

61729691a9539522174cdcf3 resr Articles
Links & Downloads

resr

Share this page
Page Sections