Revista de Economia e Sociologia Rural
https://revistasober.org/article/doi/10.1590/1806-9479.2021.246191
Revista de Economia e Sociologia Rural
Artigo Original

Indicadores de sustentabilidade para sistemas agroflorestais: levantamento de metodologias e indicadores utilizados

Sustainability indicators for agro-forest systems: a survey of methodologies and indicators used

Fabiana Aparecida da Silva Araújo; Luciano Pires de Andrade; Renato José Reis Molica; Horasa Maria Lima da Silva Andrade

Downloads: 0
Views: 22

Resumo

Resumo: Os sistemas agroflorestais (SAFs) se apresentam viáveis para a agricultura familiar como alternativa à agricultura convencional. Para avaliar a sustentabilidade desses sistemas, pode-se fazer uso de indicadores. Os estudos de indicadores de sustentabilidade nesses sistemas podem ser um mecanismo de incentivo à sua ampliação, subsidiando a atuação de assistência técnica e extensão rural (ATER), um investimento em políticas públicas, contribuindo para o desenvolvimento científico e tecnológico e para novas pesquisas. Nesse contexto, esta pesquisa se orientou em analisar os estudos sobre os indicadores de sustentabilidade em agroecossistemas por meio da produção de artigos dos últimos 30 anos, na base de dados do Portal de Periódicos Capes, que é uma biblioteca virtual no Brasil. As buscas, utilizando termos em espanhol, português e inglês, resultaram em um baixo número de artigos referentes ao tema, com pouca abordagem participativa, concentrados em reduzidas dimensões de sustentabilidade e com diferentes metodologias. Essas informações obtidas demonstram a necessidade de mais estudos, de forma participativa, para que se possam obter resultados representativos, contribuindo, assim, para uma melhor gestão e divulgação dos SAFs e servindo como orientadores de processos decisórios e de políticas públicas.

Palavras-chave

agroecologia, agricultura sustentável, conservação

Abstract

Abstract: Agroforestry Systems are viable for family farming as an alternative to conventional agriculture. To assess the sustainability of these systems, indicators can be used. The studies of sustainability indicators in the systems can be an incentive mechanism for their expansion, subsidizing the performance of the technical assistance and rural extension (TARE), the investment in public policies, contributing to the scientific and technological development, and new research. In this context, the research is guided by the analysis of studies on sustainability indicators in agroecosystems through the production of articles from the last 30 years, in the Capes Journals database, which is a virtual library in Brazil. The searches, using terms in Spanish, Portuguese, and English, resulted in a low number of articles related to the theme, with a little participatory approach, focused on reduced dimensions of sustainability, and with different methodologies. These results demonstrate the need for more studies, in a participatory way, to obtain representative results, to contribute to better management and dissemination of SAFs, as guiding decision-making processes and public policies.

Keywords

agroecology, sustainable agriculture, conservation

Referências

Altieri, M. A. (2012) Agroecologia: as bases científicas para uma agricultura sustentável ( 3. ed.). Rio de Janeiro: AS-PTA.

Altieri, M. A., & Nicholls, C. I. (2013). Agroecologia y resiliencia al cambio climático: principios y consideraciones metodológicas. Agroecologia, 8, 7-20.

Álvares, S. (2016). A ciência fala inglês? Em tempos de mudança.... Nascer e Crescer, 25(3), 133-135.

Andrade, H. M. L. S., Andrade, L. P., Melo Junior, J. L. A., Muniz, L. S., Almeida, M. M., & Queiroz A. E. S. F. (2011). Importância das oficinas, redesenho e adoção de SAFs, incluindo a agroecologia na agricultura familiar do Agreste Meridional de Pernambuco. In: Congresso Brasileiro de Agroflorestas. Belém: CBSAF.

Bertollo, P. (1998). Assessing ecosystem health in governed landscapes: a framework for developing core indicators. Ecosystem Health, 4(1), 33-51.

Camino, R., & Müller, S. (1993). Sostenibilidad de la agricultura y los recursos naturales: bases para establecer indicadores (134 p). San José: Instituto Interamericano de Cooperación para la Agricultura/Projeto IICA/GTZ.

Canuto, J. C. (2017). Sistemas Agroflorestais: experiências e reflexões (216 p). Brasília: Embrapa.

Caporal, F. R., & Costabeber, J. A. (2002). Análise Multidimensional da Sustentabilidade: uma proposta metodológica a partir da Agroecologia. Revista Agroecologia e Desenvolvimento Rural Sustentável, 3(3), 70-85.

Caporal, F. R., & Costabeber, J. A. (2004). Agroecologia e extensão rural: contribuições para a promoção do desenvolvimento rural sustentável. Porto Alegre: ASCAR-EMATER/RS.

Caporal, F. R., & Costabeber, J. A. (2007). Agroecologia e extensão rural: contribuições para a promoção do desenvolvimento rural sustentável. Brasília: MDA/SAF/DATER.

Caporal, F. R., & Azevedo, E. O. (2011). Princípios e perspectivas da Agroecologia (192 p.). Curitiba: Instituto Federal do Paraná.

Caporal, F. R. (2009). Extensão Rural e Agroecologia: para um desenvolvimento rural, necessário e possível. Brasília: Embrapa.

Carvalho, J. R. M, Curi, W. W. F., Carvalho, E. K. M. A., & Curi, R. C. (2011). Proposta e validação de indicadores hidroambientais para bacias hidrográficas: estudo de caso na sub-bacia do alto curso do Rio Paraíba, PB. Revista Sociedade e Natureza, 23(2), 295-310.

Craswell, E. T., Sajjapongse, A., Howlett, D. J. B., & Owling, A. J. D. (1998). Agroforestry in the management of sloping lands in Asia and the Pacific. Agroforestry Systems, 38, 121-137.

Daniel, O., Couto, L., Silva, E., Passos, C. A. M., Jucksch, I., & Garcia, R. (2000). Sustentabilidade em sistemas agroflorestais: indicadores socioeconômicos. Ciência Florestal, Santa Maria, 10(1), 159-175.

Deponti, C. M., & Almeida, J. (2002). Indicadores para avaliação da sustentabilidade em contextos de desenvolvimento rural local. Camaquã: UFGRS.

Deggorone, Z. A., & Costa, J. F. R. (2018). Indicadores de sustentabilidade na produção de alimentos: uma análise sobre a produção olerícola no município de Erechim – RS. Revista Gestão e Sustentabilidade Ambiental, Florianópolis, 7(3), 350-380.

Escribano, M., Díaz-caro, C., & Mesias, F. J. (2018). A participative approach to develop sustainability indicators for dehesa agroforestry farms. The Science of the Total Environment, 640–641, 89-97.

Feiden, A., Borsato, A. V., Brasil, V. G. C., & Mol, D. J. S. (2014). Indicadores de Qualidade de Vida das Famílias: uma metodologia para avaliar a sustentabilidade sócio econômica das famílias camponesas. Cadernos de Agroecologia, 9(4), 1–11.

Fernandes, L. A. O. (2004). The meaning of sustainability: searching for agrienviromental indicators. Manchester: University of Manchester.

Frainer, D. M., Souza, C. C. D., Reis, J. F., & Castelão, R. A. (2017). Uma aplicação do Índice de Desenvolvimento Sustentável aos municípios do estado de Mato Grosso do Sul. Interações, 18(2), 145-156.

Garrett, R., & Latawiec, A. (2015). What are sustainability indicators for? Sustainability indicators. In A. Latawiec & D. Agol (Ed.). Sustainability indicators in practice. Berlin: De Gruyter.

Gaspar, P., Mesías, F. J., Escribano, M., & Pulido, F. (2009). Sustainability in Spanish extensive farms (Dehesas): an economic and management indicator-based evaluation. Rangeland Ecology and Management, 62, 153-162.

Gliessman, S. R. (2001). Agroecologia: processos ecológicos em agricultura sustentável (2. ed., 653 p.). Porto Alegre: UFRGS.

Gonçalves, A. L. R. (2016). Sistemas Agroflorestais no Semiárido Brasileiro: estratégias para combate à desertificação e enfrentamento às mudanças climáticas (136 p.). Recife: Centro Sabiá/Caatinga.

Hanisch, A. L., Negrelle, R. R. B., Bonatto, R. A., Nimmo, E. R., & Lacerda, A. E. B. (2019). Evaluating sustainability in traditional silvopastoral systems (caívas): looking beyond the impact of animals on biodiversity. Sustainability, 11(11), 3098.

Holling, C. S. (1978). Adaptive environmental assessment and management. New York: John Wiley.

Kemerich, P. D. C, Ritter, L. G. & Borba, W. F. (2014). Indicadores de sustentabilidade ambiental: métodos e aplicações. REMOA. 13(5), 723-3736.

Kobashi, N. Y. & Santos, R. N. M. (2008). Arqueologia do trabalho imaterial: uma aplicação bibliométrica à análise de dissertações e teses. Encontro Bibli. (esp), 106-115.

Landeta, J., & Barrutia, J. (2011). People consultation to construct the future: a Delphi application. International Journal of Forecasting, 27(1), 134-151.

Lopes, S. B. & Almeida. J. (2003). Metodologia para análise comparativa da sustentabilidade em Sistemas Agroflorestais. Revista de Economia e Sociologia Rural, 41(1), 79-110.

Lunelli, N. P., Ramos, S. F., & Oliviera Júnior, C. F. J. (2013). Agroflorestas e externalidades. Revista Verde, Mossoró, 8(5), 163-170.

Melloni, R., Costa, N. R., Melloni, E. G. P., Lemes, M. C. S., Alvarenga, M. I. N., & Nunes, J. (2018). Sistemas agroflorestais cafeeiro-araucária e seu efeito na microbiota do solo e seus processos. Ciência Florestal, Santa Maria, 28(2), 784-795.

Mendonça, M. A. F. C. (2011). Agroecologia e indicadores de sustentabilidade: uma revisão teórico-metodológica (Dissertação de mestrado). Universidade Federal de Viçosa, Viçosa.

Miccolis, A., Peneireiro, F. M., Marques, H. R., Vieira, D. L. M., Arco-Verde, M. F., Hoffmann, M. R., Rehder, T., & Pereira, A. V. B. (2016). Restauração ecológica com sistemas agroflorestais: como conciliar conservação com produção - opções para Cerrado e Caatinga (266 p.). Brasília: ICRAF.

Moura, L. G. V., Almeida, J., & Miguel, L. A. (2004). Avaliação de sustentabilidade em agroecossistemas: um pouco de pragmatismo. REDES, 9(2), 133-155.

Muniz, L. S., & Andrade, H. M. L S. (2016). Construção de indicadores de avaliação para a transição agroecológica. Revista Científica Eletrônica de Agronomia, (30), 51-60.

Navas, R., & Silva, R. J. (2016). Ecological restoration indicators in agroforestry systems in the Atlantic forest. Ciência e Natura, 38(2), 656-664.

Neves, P. D. M. (2014). Sistemas agroflorestais como fomento para a segurança alimentar e nutricional. Cadernos da Disciplina Sistemas Agroflorestais, 41(2), 87-102.

Nicholls, C. I., Altieri, M. A., Dezanet, A., Lana, M., Feistauer, D., & Ouriques, M. (2004). A rapid, farmer-friendly agro ecological method to estimate soil quality and crop health in vineyard systems. Biodynamics, 250, 33-40.

Oliveira, J. S. R., Kato, O. R., & Oliveira, T. F. (2010). Evaluation of sustainability in Eastern Amazon under proambiente program. Agroforestry Systems, 2010(78), 185-191.

Padovan, M. P., Nascimento, J. S., Pereira, Z. V., Alves, J. C., & Ramos, F. S. (2016). Estado da arte de sistemas agroflorestais em bases agroecológicas em Mato Grosso do Sul, região Centro Oeste do Brasil. Cadernos de Agroecologia, 11(2), 12.

Paludo, R. & Costabeber, J. A. (2012). Sistemas agroflorestais como estratégia de desenvolvimento rural em diferentes biomas brasileiros. Revista Brasileira de Agroecologia, 7(2), 63-76.

Pulitano, F. M., Cipriani, H. N., Dias, L. E., & Durigan, G. (2013). Chemical and microbiological properties of an eutrophic oxisol under riparian forest buffer reforestation and pasture. Revista do Instituto Florestal, 25(1), 25-33.

Purvis, B., Mao, Y., & Robinson, D. (2019). Three pillars of sustainability: in search of conceptual origins. Sustainability Science, 14, 681-695.

Silva, J. A., & Bianchi, M. L. P. (2001). Cientometria: a métrica da ciência. Paidéia., 11(20), 5-10.

Silva, A. F., Pires, A. B., Morais, C. M. M., Aureliano, M. C., & Oliveira, M. L. A. (2016). Agricultura agroflorestal e criação animal no semiárido (2. ed., 41 p.). Recife: Centro Sabiá.

Silveira, N. D., Pereira, M. G., Polidoro, J. C., Tavares, S. R. D. L., & Mello, R. B. (2007). Aporte de nutrientes e biomassa via serrapilheira em sistemas Agroflorestais em Paraty (RJ). Ciência Florestal, Santa Maria, 17(2), 129-136.

Schembergue, A., Cunha, D. A. D., Carlos, S. D. M., Pires, M. V., & Faria, R. M. (2017). Sistemas Agroflorestais como estratégia de adaptação aos desafios das mudanças climáticas no Brasil. Revista de Economia e Sociologia Rural, 55(1), 9-30.

Steenbock, W., & Vezzani, F. M. (2013). Agrofloresta: aprendendo a produzir com a natureza. Curitiba: Fabiana Machado Vezzani, 148 p.

Souza, M. C. S., Piña-Rodrigues, F. C. M., Casagrande, J. C., Silva, S. F., & Scoriza, R. F. (2016). Funcionalidade ecológica de sistemas agroflorestais biodiversos: uso da serapilheira como indicador da recuperação de áreas de preservação permanente. Floresta, 46(1), 75-82.

Stone, L. F., Didonet, A. D., Alcântara, F., & Ferreira, E. P. D. B. (2015). Qualidade física de um Latossolo Vermelho ácrico sob sistemas silviagrícolas Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, 19(10), 953-960.

Tague-Sutcliffe, J. (1992). An introduction to informetrics. Information Processing & Management, 28(1), 1-3. Recuperado em 12 novembro 2020, de https://dl.acm.org/doi/10.1016/0306-4573(92)90087-G.

Thevathasan, N. V., Gordon, A., Simpsom, J., & Peng, X. (2014). Sustainability indicators of biomass production in agroforestry systems. The Open Agriculture Journal, 8, 1-11.

Van Bellen, H. M. (2004). Indicadores de sustentabilidade – um levantamento dos principais sistemas de avaliação. Cadernos EBAPE.BR, 2(1), 1-14.

Vanti, N. A. P. (2002). Da bibliometria à webometria: uma exploração conceitual dos mecanismos utilizados para medir o registro da informação e a difusão do conhecimento. Ciência da Informação, Brasília, DF, 31(2), 152-162.

Vargas, D. L., Fontoura, A. F., & Wizniewsky, J. G. (2013). Agroecologia: base da sustentabilidade dos agroecossistemas. Geografia Ensino & Pesquisa, 17(1), 173-179.

Vieira, M. V. M., Giunti, O. D., Gris, C. F., & Silva, A. V. (2015). Indicadores de sustentabilidade e influência de sistemas agroflorestal e convencional sobre a qualidade do solo e do café arábica em Piumhi/MG. Revista Verde, 10(2), 229-238.
 


Submetido em:
03/12/2020

Aceito em:
18/08/2021

61d81f43a953951f5500f512 resr Articles
Links & Downloads

resr

Share this page
Page Sections