Revista de Economia e Sociologia Rural
https://revistasober.org/article/doi/10.1590/1806-9479.2021.248645
Revista de Economia e Sociologia Rural
Artigo Original

Redução do número de empreendimentos agrícolas no Brasil

A decline in number of farms in Brazil

Tiago Santos Telles; Gustavo Henrique Leite de Castro; Thiago Luiz Ragugnetti Furlaneto; Gustavo Vaz da Costa

Downloads: 1
Views: 57

Resumo

Resumo: Questões relacionadas aos empreendimentos agrícolas vêm sendo discutidas em todo o mundo, o que ocorre pela importância deles no desenvolvimento econômico das nações, por estarem diretamente relacionados às transformações sociais dentro e fora do campo e por serem imprescindíveis para a produção e a oferta de alimentos, bem como para a segurança alimentar. Neste contexto, o objetivo deste estudo foi caracterizar as tendências de variação no número de empreendimentos agrícolas no Brasil, por tipo de atividade principal e por estrato de área, para o período de 2004 a 2015. Para tanto, foram utilizados dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios e calculadas as taxas médias de variação anual, por meio do teste t de Student, utilizando uma regressão dos mínimos quadrados ordinários na forma log-linear. Entre 2004 e 2015, foi constatada queda de 3,3% a.a. no número de empreendimentos agropecuários no Brasil, totalizando uma redução de 1.382.700 unidades produtivas. Também foi observado que as reduções mais intensas ocorreram nos empreendimentos agrícolas dedicados à produção de arroz (–13,4% a.a.), nos de lavouras temporárias (–12,5% a.a.) e naqueles com área de ≥ 50 a < 100 hectares (–4,5% a.a.). Tais constatações são relevantes e permitem o delineamento de ações voltadas à segurança alimentar e nutricional no Brasil.

Palavras-chave

PNAD, empregador, conta própria, atividade agrícola, estrato de área

Abstract

Abstract: Issues related to farms have been discussed in a global context due to their importance in the process of economic development. This is because they have direct impacts on social transformations inside and outside the field, besides being an important part of the system of ensuring the supply and food security of the population. Thereby, this study aimed to characterize the trends of variation in the number of farms in Brazil, by the type of main activity, and by farm size, from 2004 to 2015. For that, we used data from the National Households Sample Survey (NHSS) and the average rates of annual variation were calculated by Student's t-test using a log-linear least squares regression. From the results, there was a reduction of 3.3% per year in the farms in Brazil, a total decrease of 1,382,700 farms in the evaluated period. There was an intense drop in farms dedicated to rice (-13.4% per year) and temporary crops (-12.5% per year) and in those from ≥ 50 ha to < 100 ha (-4.5% per year). This information may subsidize the outlining of actions directed to food and nutritional security in Brazil.
 

Keywords

NHSS, employer, self-employed, agricultural activity, farm size

Referências

Adamopoulos, T., & Restuccia, D. (2014). The size distribution of farms and international productivity differences. The American Economic Review, 104(6), 1667-1697.

Anjos, F. S., Caldas, N. V., & Hirai, W. G. (2009). A dimensão rural da insegurança alimentar: transformações nas práticas de autoconsumo entre famílias rurais do extremo sul gaúcho. Segurança Alimentar e Nutricional, 16(1), 1-17.

Artuzo, F. D., Foguesatto, C. R., Souza, A. R. L., & Silva, L. X. (2018). Gestão de custos na produção de milho e soja. Revista Brasileira de Gestão de Negócios, 20(2), 273-294.

Balsadi, O. V., & Del Grossi, M. E. (2016). Trabalho e emprego na agricultura brasileira um olhar para o período 2004–2014. Revista de Política Agrícola, 25(4), 82-96.

Bevilaqua, G. A. P., Antunes, I. R., Barbieri, R. L., Schwengber, J. E., Anjos e Silva, S. D., Leite, D. P., & Cardoso, J. H. (2014). Agricultores guardiões de sementes e ampliação da agrobiodiversidade. Cadernos de Ciência & Tecnologia, 31(1), 99-118.

Buainain, A. M., & Dedecca, C. S. (2010). Mudanças e reiteração da heterogeneidade do mercado de trabalho agrícola. In J. Gasques, J. Vieira Filho & Z. Navarro (Eds.), A agricultura brasileira: desempenho, desafios e perspectivas (pp. 123-156). Brasília: IPEA.

Deininger, K., & Byerlee, D. (2012). The rise of large farms in land abundant countries: Do they have a future? World Development, 40(4), 701-714.

Del Grossi, M., & Graziano da Silva, J. (2006). Mudanças recentes no mercado de trabalho rural. Parcerias Estratégicas, 11(22), 201-216.

Eastwood, R., Lipton, M., & Newell, A. (2010). Farm size. In P. L. Pingali & R. E. Evenson (Eds.), Handbook of agricultural economics (Vol. 4, pp. 3323-3397). Burlington: Academic Press.

Ferreira Filho, J. B. S., & Vian, C. E. F. (2016). The evolving role of large and medium farms on Brazilian agriculture. Agricultural Economics, 47(S1), 215-225. http://dx.doi.org/10.1111/agec.12310

Ferreira, B., Balsadi, O. V., Freitas, R. E., & Almeida, A. N. (2006). Ocupações agrícolas e não agrícolas: trajetória e rendimentos no meio rural brasileiro. In J. A. De Negri, F. De Negri & D. Coelho (Eds.), Tecnologia, exportação e emprego (pp. 445-488). Brasília: IPEA.

Fischer, A., Surdi, A. P., Santos Junior, S., & Winck, C. A. (2015). A silvicultura madeireira na Secretaria e Desenvolvimento Regional de Joaçaba. Desenvolvimento em Questão, 29(13), 225-256.

Fuentes-Llanillo, R., Del Grossi, M. E., Santos, F. O., Munhos, P. D., & Guimarães, M. F. (2006). Regionalização da agricultura do Estado do Paraná, Brasil. Ciência Rural, 36(1), 120-127. http://dx.doi.org/10.1590/S0103-84782006000100018

Grisa, C., & Schneider, S. (2008). “Plantar pro gasto”: a importância do autoconsumo entre famílias de agricultores do Rio Grande do Sul. Revista de Extensão Rural, 02(2), 481-515. http://dx.doi.org/10.1590/S0103-20032008000200008

Hazell, P., Poulton, C., Wiggins, S., & Dorward, A. (2010). The future of small farms: Trajectories and policy priorities. World Development, 38(10), 1349-1361. http://dx.doi.org/10.1016/j.worlddev.2009.06.012

Helfand, S. M., Pereira, V. F., & Soares, W. L. (2014). Pequenos e médios produtores na agricultura brasileira: situação atual e perspectivas. In A. M. Buainain, E. Alves, J. M. Silveira & Z. Navarro (Eds.), O mundo rural no Brasil do século 21: a formação de um novo padrão agrário e agrícola (pp. 533-557). Brasília: Embrapa.

Hoffmann, R. (2011). Distribuição da renda agrícola e sua contribuição para a desigualdade de renda no Brasil. Revista de Política Agrícola, 20(2), 5-22.

Hoffmann, R., & Ney, M. G. (2010). Estrutura fundiária e propriedade agrícola no Brasil: grandes regiões e unidades da federação. Brasília: Ministério do Desenvolvimento Agrário.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE. (2019). Censo agropecuário: resultados definitivos 2017. Rio de Janeiro: IBGE.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE. (2020). Pesquisa de orçamentos familiares 2017-2018: análise do consumo alimentar pessoal no Brasil. Rio de Janeiro: IBGE.

Laurenti, A. C., Pellini, T., & Telles, T. S. (2015). Evolução da ocupação e do rendimento das pessoas no espaço rural brasileiro no período de 2001 a 2009. Revista de Economia e Sociologia Rural, 54(2), 321-342. http://dx.doi.org/10.1590/1234-56781806-9479005302008

Lowder, S. K., Skoet, J., & Raney, T. (2016). The number, size, and distribution of farms, smallholder farms, and family farms worldwide. World Development, 87, 16-29. http://dx.doi.org/10.1016/j.worlddev.2015.10.041

Maia, A. G., & Buainain, A. M. (2015). O novo mapa da população rural brasileira. Confins, 25, 1-26.

Maia, A. G., & Sakamoto, C. S. (2014). A nova configuração do mercado de trabalho agrícola brasileiro. In A. M. Buainain, E. Alves, J. M. Silveira & Z. Navarro (Eds.), O mundo rural no Brasil do século 21: a formação de um novo padrão agrário e agrícola (pp. 591-619). Brasília: Embrapa.

Masters, W. A., Djurfeldt, A. A., De Haan, C., Hazell, P., Jayne, T., Jirström, M., & Reardon, T. (2013). Urbanization and farm size in Asia and Africa: Implications for food security and agricultural research. Global Food Security, 2(3), 156-165. http://dx.doi.org/10.1016/j.gfs.2013.07.002

Mattei, L. (2015). Emprego agrícola: cenários e tendências. Estudos Avançados, 29(85), 35-52. http://dx.doi.org/10.1590/S0103-40142015008500004

Navarro, Z. S., & Campos, S. K. (2014). A “pequena produção rural” no Brasil e as tendências do desenvolvimento agrário brasileiro. Revista de Extensão e Estudos Rurais, 3(1), 25-92.

Neder, H. D. (2008). Estrutura do mercado de trabalho agrícola no Brasil: uma análise descritiva da evolução de suas categorias entre 1995 e 2006. In A. M. Buainain & C. Dedecca (Eds.), Trabalho e emprego na agricultura brasileira (pp. 156-182). Brasília: IICA.

Ney, M. G., & Hoffmann, R. (2003). Desigualdade de renda na agricultura: o efeito da posse da terra. Economía, 4(1), 113-152.

Ney, M. G., & Hoffmann, R. (2008). A contribuição das atividades agrícolas e não-agrícolas para a desigualdade de renda no Brasil rural. Economia Aplicada, 12(3), 365-393. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-80502008000300002

Oyhantçabal, G., & Narbondo, I. (2019). Land grabbing in Uruguay: New forms of land concentration. Canadian Journal of Development Studies, 40(2), 201-219. http://dx.doi.org/10.1080/02255189.2018.1524749

Proni, M. W. (2010). Mapeamento do trabalho agrícola no Brasil. In A. Moretto, J. D. Krein, M. Pochmann & J. Macambira (Eds.), Economia, desenvolvimento regional e mercado de trabalho do Brasil (pp. 139-176). Fortaleza: Instituto de Desenvolvimento do Trabalho, Banco do Nordeste do Brasil, Centro de Estudos Sindicais e de Economia do Trabalho.

Proni, M. W., & Garrido, F. L. (2005). Agricultura, desigualdade regional e trabalho no Brasil. Revista da ABET, 5(1), 219-247.

Rocha, C., Burlandy, L., & Maluf, R. (2012). Small farms and sustainable rural development for food security: The Brazilian experience. Development Southern Africa, 29(4), 519-529. http://dx.doi.org/10.1080/0376835X.2012.715438

Sakamoto, C. S., & Maia, A. G. (2012). Dinâmica do mercado de trabalho agrícola e impactos sobre a distribuição de rendimentos nos anos 2000. Revista da ABET, 11(2), 11-31.

Santos, M. (2005). A urbanização brasileira (5. ed.). São Paulo: Edusp.

Sauer, S., & Leite, S. P. (2012). Expansão agrícola, preços e apropriação de terra por estrangeiros no Brasil. Revista de Economia e Sociologia Rural, 50(3), 503-524. http://dx.doi.org/10.1590/S0103-20032012000300007

Staduto, J. A. R., Nascimento, C. A., & Souza, M. (2013). Ocupações e renda das mulheres e homens no rural do estado do Paraná, Brasil: uma perspectiva de gênero. Cuadernos de Desarrollo Rural, 10(72), 91-115.

Sumner, D. A. (2014). American farms keep growing: Size, productivity, and policy. The Journal of Economic Perspectives, 28(1), 147-166. http://dx.doi.org/10.1257/jep.28.1.147

Telles, T. S., Costa, G. V., Bacchi, M. D., & Laurenti, A. C. (2017). Evolução da população rural ocupada nas Grandes Regiões do Brasil entre 2001 e 2009. Interações, 18(1), 17-26. http://dx.doi.org/10.20435/1984-042X-2017-v.18-n.1(02)

Telles, T. S., Costa, G. V., Castro, G. H. L., Bachi, M. D., & Laurenti, A. C. (2019). Decrease in the number of farms in the State of Paraná, Brazil. Semina: Ciências Agrárias, 40(1), 127-138. http://dx.doi.org/10.5433/1679-0359.2019v40n1p127

Vieira Filho, J. E. R. (2013). Heterogeneidad estructural de la agricultura familiar en el Brasil. Revista Cepal, 111(111), 103-121. http://dx.doi.org/10.18356/7248f152-es
 


Submetido em:
15/02/2021

Aceito em:
07/08/2021

61799490a9539561201a74a4 resr Articles
Links & Downloads

resr

Share this page
Page Sections