Revista de Economia e Sociologia Rural
https://revistasober.org/article/doi/10.1590/1806-9479.2021.251225
Revista de Economia e Sociologia Rural
Artigo Original

Relações de confiança envolvendo consumidores de alimentos orgânicos: um estudo de caso em Sorocaba/SP

Trust relationships involving organic food consumers: a case study in Sorocaba (in the state of São Paulo)

Rodrigo Brezolin Buquera; Paulo Eduardo Moruzzi Marques

Downloads: 0
Views: 46

Resumo

Resumo: A partir da crítica ao modelo agroalimentar industrial produtivista, as redes alimentares alternativas emergem por meio, particularmente, de uma reaproximação entre produtor e consumidor, visando ao resgate de relações de confiança interpessoal. Nessas redes, destaca-se o interesse pelos alimentos orgânicos. Com esse ponto de partida, este artigo visa apresentar uma análise sobre as formas de confiança adotadas pelos consumidores de alimentos orgânicos, utilizando um estudo de caso sobre o município de Sorocaba/SP. Para tal propósito, foram realizadas entrevistas semiestruturadas, acrescidas de informações obtidas por um levantamento on-line prévio. Como resultados, foi observada uma clara distinção nas formas de confiança adotadas pelos consumidores, representadas pela valorização de mecanismos institucionais de reconhecimento orgânico e de relações interpessoais de confiança. Por outro lado, a falta de clareza do que são os alimentos orgânicos e seus mecanismos de reconhecimento abrem espaço para prosperar um mercado informal de orgânicos, no qual pairam dúvidas sobre a qualidade orgânica dos alimentos, em ambiente favorável a dissimulações e fraudes.

Palavras-chave

redes alimentares alternativas, consumo de alimentos orgânicos, reconhecimento orgânico, confiança, feiras orgânicas

Abstract

Abstract: From the criticism of the modern productivist agri-food system, the alternative food networks emerge through a rapprochement between producers and consumers, which aims the rescue the interpersonal trust relationships. In these networks, the interest in organic food is highlighted. With this starting point, this paper presents an analysis of the trust forms adopted by the organic food consumers, using as a study case the municipality of Sorocaba (in the state of São Paulo). For this purpose, semi-structured interviews were performed, enhanced by data obtained via a previous online survey. As a result, there was a clear distinction between the consumers' trust forms, represented by the valorization of institutional mechanisms for organic recognition and the interpersonal trust relationships. On the other hand, the lack of clarity about what is organic food and its recognition mechanisms make room for an informal organic market to thrive, in which there are doubts about the organic quality, in an environment favorable to concealment and fraud.
 

Keywords

alternative food networks, organic food consumption, organic recognition, trust, organic street fairs

Referências

Agovino, M., Crociata, A., Quaglione, D., Sacco, P., & Sarra, A. (2017). Good taste tastes good. cultural capital as a determinant of organic food purchase by italian consumers: evidence and policy implications. Ecological Economics, 141, 66-75.

Anjos, F. S., & Caldas, N. V. (2017). A dinâmica dos canais curtos de comercialização: o caso do Projeto Campagna Amica na Itália. Revista Sociedade e Estado, 32(3), 771-792.

Barbosa, S. C., Matteucci, M. B. A., Leandro, W. M., Leite, A. F., Cavalcante, E. L. S., & Almeida, G. Q. E. (2011). Perfil do consumidor e oscilações de preços de produtos agroecológicos. Pesquisa Agropecuária Tropical, 41(4), 602-609.

Beck, U. (2011). Sociedade de riscos: rumo a uma outra modernidade (2. ed.). São Paulo: Editora 34.

Brasil. (2003). Lei nº 10.831, 23 de dezembro 2003. Dispõe sobre a agricultura orgânica e dá outras providências. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília.

Cassol, A., & Schneider, S. (2017). Construindo a confiança nas cadeias curtas: interações sociais, valores e qualidade na Feira do Pequeno Produtor de Passo Fundo/RS. In M. Gazolla & S. Schneider (Eds.), Cadeias curtas e redes alimentares alternativas. (pp. 195-218). Porto Alegre: Editora da UFRGS.

Conselho Brasileiro da Produção Orgânica & Sustentável – ORGANIS. (2019). Panorama do consumo de orgânicos no Brasil 2019. Recuperado em 1 de novembro de 2019, de http://organis.org.br/

Daugbjerg, C., Smed, S., Andersen, L. M., & Schvartzman, Y. (2014). Improving ecolabelling as an environmental policy instrument: knowledge, trust and organic consumption. Journal of Environmental Policy and Planning, 16(4), 559-575.

Demirtas, B. (2019). Assessment of the impacts of the consumers’ awareness of organic food on consumption behavior. Food Science and Technology, 39(4), 881-888.

Dias, V. V., Schuster, M. S., Talamini, E., & Révillion, J. P. (2016). Scale of consumer loyalty for organic food. British Food Journal, 118(3), 697-713.

Fontanella, B. J. B., Luchesi, B. M., Saidel, M. G. B., Ricas, J., Turato, E. R., & Melo, D. G. (2011). Amostragem em pesquisas qualitativas: proposta de procedimentos para constatar saturação teórica. Cadernos de Saúde Pública, 27(2), 389-394.

Freitas, H., Oliveira, M., Saccol, A. Z., & Moscarola, J. (2000). O método de pesquisa survey. Revista de Administração, 35(3), 105-112.

Freyer, B., Bingen, J., & Paxton, R. (2014). Can multicriteria assessment tools help build trust into organic products? Ecology and Society, 19(4), art5.

Hansen, T., Sørensen, M. I., & Eriksen, M. R. (2018). How the interplay between consumer motivations and values influences organic food identity and behavior. Food Policy, 74, 39-52.

Holland, S. (2016). Lending credence: motivation, trust, and organic certification. Agricultural and Food Economics, 4(14), 1.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE. (2018). Município de Sorocaba. Recuperado em 8 de abril de 2018, de https://www.ibge.gov.br/estatisticas-novoportal/por-cidade-estado-estatisticas.html?t=destaques&c=3552205

Kjærnes, U., Harvey, M., & Warde, A. (2007). Trust in food: a comparative and institutional analysis. Basingstoke: Palgrave Macmillan.

Leão, V. O. P. S. (2019). Organizações de Controle Social na Região Metropolitana de São Paulo: relações de proximidade e de confiança em foco (Dissertação de mestrado). Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”, Universidade de São Paulo, Piracicaba.

McKnight, D H., & Chervany, N. L. (1996) The meanings of trust (Technical report). University of Minnesota.

McMichael, P. (2016). Regimes alimentares e questões agrárias. São Paulo: Editora Unesp; Porto Alegre: Editora da UFRGS.

Meijboom, F., Visak, T., & Brom, F. (2006). From trust to trustworthiness: why information is not enough in the food sector. Journal of Agricultural & Environmental Ethics, 19(5), 427-442.

Moruzzi Marques, P. E., & Blanc, J. (2020). Contornos sinuosos de justiça ecológica. Raízes: Revista de Ciências Sociais e Econômicas, 40(2), 366-389.

Nierdele, P. A., & Marques, F. C. (2016). Produção ecológica de alimentos e mudanças institucionais: implicações para a construção de novos mercados. In F. C. Marques, M. A. Conterato & S. Schneider (Eds.), Construção de mercados e agricultura familiar (1. ed., pp. 275-310). Porto Alegre: Editora da UFRGS.

Paula, N. M. (2017). Evolução do sistema agroalimentar mundial: contradições e desafios. Curitiba: CRV.

Pereira, M. C., Müller, C. R., Rodrigues, F. S. A., Moutinho, A. B. A., Rodrigues, K. L., & Botelho, F. T. (2015). Mudança no perfil sociodemográfico de consumidores de produtos orgânicos. Ciencia & Saude Coletiva, 20(9), 2797-2804.

Portilho, F., & Castañeda, M. (2011). Certificação e confiança face a face em feiras de produtos orgânicos. Revista de Economia Agrícola, 58(1), 11-21.

Rana, J., & Paul, J. (2017). Consumer behavior and purchase intention for organic food: a review and research agenda. Journal of Retailing and Consumer Services, 38, 157-165.

Renting, H., Marsden, T., & Banks, J. (2017). Compreendendo as redes alimentares alternativas: o papel de cadeias curtas de abastecimento de alimentos no desenvolvimento rural. In M. Gazolla & S. Schneider (Eds.), Cadeias curtas e redes alimentares alternativas. (pp. 27-52). Porto Alegre: UFRGS.

Rossi, A., & Brunori, G. (2017). As cadeias curtas de abastecimento na inovação dos Grupos de Aquisição Solidárias (GAS): a construção social das práticas (alimentares) sustentáveis. In M. Gazolla & S. Schneider (Eds.), Cadeias curtas e redes alimentares alternativas. (pp. 83-104). Porto Alegre: Editora da UFRGS.

Schneider, S., & Gazolla, M. (2017). Cadeias curtas e redes alimentares alternativas. In M. Gazolla & S. Schneider (Eds.), Cadeias curtas e redes alimentares alternativas. (pp. 9-26). Porto Alegre: Editora da UFRGS.

Sorocaba (Município). (2018). Diagnóstico ambiental municipal. Recuperado em 22 de maio de 2020, de http://meioambiente.sorocaba.sp.gov.br/gestaoambiental/diagnostico-ambiental-municipal/

Thorsøe, M. H. (2015). Maintaining trust and credibility in a continuously evolving organic food system. Journal of Agricultural & Environmental Ethics, 28(4), 767-787.

Thorsøe, M. H., Christensen, T., & Povlsen, K. K. (2016). Organics’ are good, but we don’t know exactly what the term means! Trust and knowledge in organic consumption. Food, Culture, & Society, 19(4), 681-704.

Torunsky, F. (2019) Justificativas em torna das comunidades que sustentam a agricultura: um estudo de caso da CSA São Carlos/SP (Dissertação de mestrado). Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”, Universidade de São Paulo, Piracicaba.

Truninger, M. (2013). As bases plurais da confiança alimentar nos produtos orgânicos: da certificação ao “teste da minhoca”. Ambiente & Sociedade, 16(2), 81-102.

Van der Ploeg, J. D. (2008). Camponeses e impérios alimentares: lutas por autonomia e sustentabilidade na era da globalização. Porto Alegre: Editora UFRGS.

Vega-Zamora, M., Torres-Ruiz, F. J., & Parras-Rosa, M. (2019). Towards sustainable consumption: keys to communication for improving trust in organic foods. Journal of Cleaner Production, 216, 511-519.

Weber, M. (2011). A “objetividade” do conhecimento nas Ciências Sociais. In G. Cohn & M. Weber (Eds.), Sociologia. São Paulo: Ática.
 


Submetido em:
18/04/2021

Aceito em:
27/07/2021

61799621a953956210139083 resr Articles
Links & Downloads

resr

Share this page
Page Sections