Revista de Economia e Sociologia Rural
https://revistasober.org/article/doi/10.1590/1806-9479.2022.267567
Revista de Economia e Sociologia Rural
ARTIGO ORIGINAL

Impacto socioeconômico da cultura da soja nas áreas mínimas comparáveis do Brasil

Socioeconomic impact of soybean crop in the minimum comparable areas of Brazil

Antonio Octaviano de Andrade Neto; Augusta Pelinski Raiher

Downloads: 0
Views: 394

Resumo

Este artigo avalia o efeito do cultivo da soja sobre o nível de desenvolvimento socioeconômico e do crescimento econômico das AMC’s (Áreas Mínimas Comparáveis) brasileiras, entre os anos de 1991 e 2010. Para isso, foram estimados os modelos Diferenças em Diferenças com Escore de Propensão (DDM), avaliando o impacto de ser produtor de soja no Produto Interno Bruto (PIB) per capita e nas dimensões do Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDH-M). Os resultados demonstraram que a produção de soja não impactou o IDH-M global, apresentando efeito positivo apenas no IDHM-conhecimento. No caso da dimensão longevidade, identificou-se um impacto negativo, possivelmente em decorrência do uso intensivo de agrotóxicos, que afeta a saúde dos trabalhadores rurais e moradores de localidades próximas. No caso do crescimento econômico, o efeito foi positivo, inferindo que “ser uma AMC produtora de soja” tende, na média, a intensificar o PIB per capita.

Palavras-chave

soja, desenvolvimento econômico, crescimento econômico, diferenças em diferenças com escore de propensão

Abstract

Abstract: This article evaluated the effect of soybean cultivation on the level of socioeconomic development and economic growth of the Brazilian AMC's (Minimum Comparable Areas), between the years 1991 and 2010. For this, the models Differences in Differences with Propensity Score were estimated. (DDM), evaluating the impact of “being a soybean producer” on the Gross Domestic Product (GDP) per capita and on the dimensions of the Municipal Human Development Index (HDI-M). The results showed that soybean production did not impact the global HDI-M, with a positive effect only on the HDI - knowledge. In the case of the longevity dimension, a negative impact was identified, possibly due to the intensive use of pesticides, which affects the health of rural workers and residents of nearby locations. In the case of economic growth, the effect was positive, inferring that “being a soy-producing AMC” tends, on average, to intensify GDP per capita.

Keywords

soybean, economic development, economic growth, differences in differences with propensity score

Referências

Albuquerque, M. C. C., & Nicol, R. (1987). Economia agrícola: o setor primário e a evolução da economia brasileira. São Paulo: McGraw-Hill.

Awokuse, T., & Xie, R. (2015). Does agriculture really matter for economic growth in developing countries? Canadian Journal of Agricultural Economics, 63(1), 77-99.

Bagolin, I. P., & Comim, F. V. (2008). Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) e sua família de índices: uma revisão crítica em evolução. Revista de Economia do Paraná, 34(2), 7-28.

Belo, P. W., Dores, E., Moreira, J., & Peres, F. (2012). Uso de agrotóxicos na produção de soja do estado de Mato Grosso: um estudo preliminar de riscos ocupacionais e ambientais. Revista Brasileira de Saúde Ocupacional, 37(125), 78-88.

Bessa, D. C., & Fachinello, A. L. (2016). Relações e dimensionamento do agronegócio na economia brasileira: uma proposta metodológica. In Anais do LIV Congresso da SOBER. Maceió - AL.

Brum, A. L., Dalfovo, W. C., & Azuaga, F. L. (2009). Alguns impactos da expansão da produção de soja no município de Sorriso - MT. Desenvolvimento em Questão, 7(14), 173-200.

Castro, L. S., & Lima, J. E. (2016). A soja e o estado do mato grosso: existe alguma relação entre o Plantio da cultura e o desenvolvimento dos municípios? Revista Brasileira de Estudos Regionais e Urbanos, 10(2), 177-198.

Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada - CEPEA (2021). PIB do agronegócio brasileiro. Recuperado em 5 de janeiro de 2023, de https://www.cepea.esalq.usp.br/br/pib-do-agronegocio-brasileiro.aspx

Colle, C. (2012). Reflexões sobre o papel histórico dos modelos de desenvolvimento da agricultura brasileira na economia. Colóquio, 9(2), 71-83.

Cruz, J., Pereira Filho, I. A., & Albuquerque Filho, M. R. (2021). Rotação de culturas. Recuperado em 5 de janeiro de 2023, de https://www.embrapa.br/agencia-de-informacao-tecnologica/cultivos/milho/producao/rotacao-de-culturas#:~:text=A%20rota%C3%A7%C3%A3o%20milho%2Dsoja%20tem,uma%20sucess%C3%A3o%20dessas%20duas%20culturas

Domingues, M., Bermann, C., & Manfredini, S. (2014). A produção de soja no Brasil e sua relação com o desmatamento na Amazônia. RPGeo, 1(1), 33-47.

Edeme, R., Ifelunini, I., & Nkalu, N. (2016). A comparative analysis of the impact of agricultural exports on economic growth of countries. Acta Oeconomica Pragensia, 24(5), 1-20.

Fearnside, P. M. (2000). Soybean cultivation as a threat to the environment in Brazil. Environmental Conservation, 28(1), 23-38.

Ferreira, F. H., & Lanjouw, P. (2001). Rural nonfarm activities and poverty in the Brazilian Northeast. World Development, 29(3), 509-528.

Freitas, C., & Paes, N. (2022). Impactos da desoneração da folha de pagamentos sobre o emprego formal e a competitividade industrial: uma aproximação pelo método de Difference in Differences com Propensity Score Matching. Estudos Econômicos, 52(2), 1-20.

Furtado, C. (1963). Formação econômica do Brasil. Rio de Janeiro: Fundo de Cultura.

Heckman, J. J., Ichimura, H., & Todd, P. (1997). Matching as an econometric evaluation estimator. The Review of Economic Studies, 65(2), 261-294.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE. (2019). Produção Agrícola Municipal (PAM). Recuperado em 5 de janeiro de 2023, de http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/indicadores/agropecuaria/lspa/default.shtm

Jannuzzi, P. M., Barreto, R. S., & Sousa, M. F. (2013). Monitoramento e avaliação do desenvolvimento humano: a insensibilidade do Índice de Desenvolvimento Humano às políticas de desenvolvimento social. Revista Brasileira de Monitoramento e Avaliação, 5(1), 60-79.

Johnston, B. F., & Mellor, J. W. (1961). The Role of agriculture in economic development. The American Economic Review, 51(4), 566-593.

Lewis, A. W. (1954). Economic development with unlimited supplies of labor. Manchester: Manchester School.

Ligon, E., & Sadoulet, E. (2018). Estimating the Relative Benefits of Agricultural Growth on the Distribution of Expenditures. World Development, 109(1), 417-428.

Lindner, A., & Wagner, A. (2020). Agricultural productivity, economic growth & human development in Sub-Saharan Africa: a Least Squares Dummy Variables (LSDV) approach. Recuperado em 5 de janeiro de 2023, de https://www.rose-hulman.edu/academics/ academic-departments/mathematics/mathreu/_assets/pdfs/2020_Agricultural_Productivity_Lindner_Wagner.pdf

Mankiw, N. G., Romer, D., & Weil, D. (1992). A contribution to the empirics of economic growth. The Quarterly Journal of Economics, 107(2), 407-437.

Martinelli, L., Batistella, M., Silva, R., & Moran, E. (2017). Soy expansion and socioeconomic development in municipalities of Brazil. Land, 6(3), 62.

Nasrala Neto, E., Castro, F., & Pignati, L. (2014). Health surveillance and agribusiness: the impact of pesticides on health and the environment. Danger ahead! Ciencia & Saude Coletiva, 19(12), 1-20.

North, D. (1977). A agricultura no crescimento econômico. In J. Schwartzman (Ed.), Economia regional: textos escolhidos (pp. 333-343). Belo Horizonte: CEDEPLAR/CETEDRE - MINTER.

Oderich, E. H., & Waquil, P. D. (2019). Municípios dependentes da soja no rio grande do sul: aspectos demográficos e socioeconômicos. Boletim Geográfico do Rio Grande do Sul, 33, 107-112.

Oduor, O. C. (2019). Effect of agricultural performance on human development and households’ welfare in Kenya. Recuperado em 5 de janeiro de 2023, de https://ir-library.ku.ac.ke/bitstream/handle/123456789/20426/Effect%20of%20Agricultural%20Performance........pdf?sequence=1&isAllowed=y

Orlandi, M., Willers, E., Staduto, J. A. R., Eberhardt, P. E., & Piacenti, C. (2012). Caminhos da soja e o desenvolvimento rural no Paraná e em Mato Grosso. Revista de Política Agrícola, 21(4), 75-90.

Raiher, A. P., & Ferrera de Lima, J. (2014). Desenvolvimento humano municipal no Sul do Brasil: evolução recente e o círculo vicioso da pobreza. Acta Scientiarum Human and Social Sciences, 36(2), 147-154.

Richards, P., Pellegrina, H., Vanwey, L., & Spera, S. (2015). Soybean development: the impact of a decade of agricultural change on urban and economic growth in Mato Grosso, Brazil. PLoS One, 10(4), 122-510.

Rostow, W. (1971). Etapas do desenvolvimento econômico. Rio de Janeiro: Zahar.

Sant’Ana, M. (2008). The evolution of the concept of development: from economic growth to human development. Inter-University Attraction Pole.

Santos, M. R., Dias, J. M., & Fernandes, G. B. (2010). Avaliação da capacidade de predição de Índice de Desenvolvimento Humano dos Municípios (IDHM) a partir das demonstrações contábeis legais. In Anais do 34º Encontro da ANPAD. Rio de Janeiro, RJ.

São Paulo. Instituto de Economia Agrícola - IEA. (2019). Previsões e estimativas das safras agrícolas do estado de São Paulo, intenção de plantio do ano agrícola 2019/20 e levantamento final do ano agrícola 2018/19. Recuperado em 5 de janeiro de 2023, de http://www.iea.agricultura.sp.gov.br/out/TerTexto.php?codTexto=14720

Schuntzemberger, A. M. S., Rodrigues, E. J., Oliveira, F. O., & Vaz, A. S. (2015). Análises quase-experimentais sobre o impacto das cooperativas de crédito rural solidário no PIB municipal da agropecuária. Revista de Economia e Sociologia Rural, 53(3), 497-516.

Self, S., & Grabowski, R. (2007). Economic Development and the Role of Agricultural Technology. Agricultural Economics, 36(1), 395-404.

Sen, A. Development as freedom. (1999). Oxford: Oxford University Press.

Silva Júnior, J. J., Miyamoto, B. C. B., Coleti, J. C., & Silveira, J. M. F. J. (2019). Impacto econômico dos inoculantes na soja: uma análise insumo-produto. Revista de Estudios Sociales, 21(42), 99-121.

Silva, M., Leão, C., Silva, R. M. M., & Sousa, A. S. (2016). Expansão da cultura de soja, infraestrutura viária e desenvolvimento regional: a BR 158 e o Vale do Araguaia Mato-Grossense entre 1990 e 2010. Revista Brasileira de Desenvolvimento Regional, 3(2), 135-159.

Siqueira, T. V., & Siffert Filho, N. F. (2001). Desenvolvimento regional no Brasil: tendências e novas perspectivas. Revista do BNDES, 8(46), 79-117.

Staduto, J. A. R., & Kreter, A. C. (2014). A questão agrária e o mercado de trabalho rural no Brasil. Informe Gepec, 18(1), 177-192.

Timmer, C. P. (1992). Agriculture and economic development revisited. Agricultural Systems, 40(1), 1-15.

Verter, N., & Becvarova, V. (2016). The impact of agricultural exports on economic growth in Nigeria. Acta Univ. Agric. Silvic, 64(2), 691-700.

Weinhold, D., Killick, E., & Reis, E. J. (2013). Soybeans, poverty and inequality in the Brazilian Amazon. World Development, 52(1), 132-143.

Zambra, E. M., Souza, P. A. R., & Pereira, R. S. (2015). Os impactos da produção de soja e a dinâmica do desenvolvimento em Sorriso - MT. Pretexto, 16(3), 92-105.

Zylbersztajn, D. (2014). Coordenação e governança de sistemas agroindustriais. In A. M. Buainain, Z. Navarro, J. M. F. J. Silveira & E. R. A. Alves (Eds.), Mundo rural no Brasil do século 21: a formação de um novo padrão agrário e agrícola (pp. 269-294). Brasília: EMBRAPA.
 


Submetido em:
05/09/2022

Aceito em:
14/03/2023

64661926a953950b1d2658d2 resr Articles
Links & Downloads

resr

Share this page
Page Sections