Revista de Economia e Sociologia Rural
https://revistasober.org/article/doi/10.1590/S0103-20032013000100006
Revista de Economia e Sociologia Rural
Artigo original

Uma tipologia dos estabelecimentos agropecuários do Brasil a partir do censo de 2006

Angela Antonia Kageyama; Sonia Maria Pessoa Pereia Bergamasco; Julieta Teresa Aier de Oliveira

Downloads: 0
Views: 290

Resumo

Baseando-se na composição da mão de obra utilizada, medida a partir do número de pessoas e do tempo de trabalho no ano, os estabelecimentos agropecuários foram agrupados em quatro categorias: assentado, exclusivamente familiar, familiar com contratado, não familiar. Os estabelecimentos de "assentados" são em quase sua totalidade estabelecimentos familiares; os "exclusivamente familiares" são estabelecimentos conduzidos pelo produtor exclusivamente com mão de obra familiar (pessoas com laço de parentesco com o produtor, sem pessoal contratado); os "familiares com contratados" utilizam pessoas da família e pessoal contratado, porém a mão de obra familiar supera a dos contratados; os estabelecimentos "não familiares" incluem os que operam somente com trabalho contratado e aqueles em que a força de trabalho contratada supera a dos membros da família do produtor. Foram analisadas as características de área, valor da produção, produtividade e fontes de receitas. Os estabelecimentos familiares são predominantes (90%) e abrigam 80% das pessoas ocupadas na agricultura, mas geram somente 50% do valor produzido. A concentração fundiária dentro das categorias familiares é tão elevada quanto nos estabelecimentos não familiares. No Brasil, apenas 16% da desigualdade da distribuição da terra se deve à desigualdade entre as categorias analisadas; os 84% restantes devem-se à desigualdade dentro dos grupos.

Palavras-chave

agricultura familiar, assentamento rural, mão de obra.
5cf809970e8825ee4d58d25b resr Articles

resr

Share this page
Page Sections